Sobre nós

Seja bem-vindo! Conheça um pouco sobre o blogue.

Legado da Adaga Negra

Leia tudo sobre o novo livro da nova saga da IAN: "Beijo de sangue"

Anjos Caídos " The Fallen Angels"

Aqui podes espreitar alguns capitulos traduzidos. Esperemos que gostes

sábado, 12 de novembro de 2016

Sessão da Ward com os fãs na Feira do Livro de Kentucky a dia 5 de Novembro




Olá pessoal!!!

Tudo bem?

Tenho algo que já encontrei há algum tempo mais ainda não tinha tido oportunidade para traduzir e vos passar!!! 

Antes de mais vou colocar aqui a capa inglesa e a original de The Chosen para poderem compará-las. :)

Capa Americana
Capa Britânica

E agora vamos ao que interessa!!!! Aviso desde já que há SPOILERS!!!!                            

No passado dia 5 deste mês (Novembro) a nossa Ward participou numa feira do livro em Kentucky, EUA onde, para além de assinar livros também respondeu a questões colocadas pelos fãs que vou traduzir a baixo (versão original da transcrição que encontrei encontra-se a baixo, como sempre). Caso encontrem algo a negrito a partir daqui é comentários meus. ;)

----V.P.----
********Alerta SPOILER********

P: Podes dizer-nos qual é o próximo livro da série da IAN?

R: Não. Vão ter que esperar até Abril, quando eu faço a minha sessão anual de P&R (Q&A) em Cincinnati, Ohio.

P: Vamos ter mais informação sobre o Murhder, e quando é que ele vai voltar a aparecer?

R: Estou a pensar escrever uma séria à volta dele e à colónia por lá. Há um grande desenvolvimento n' "A Escolhida" (The Chosen - até ler o livro não sei dizer se estão a falar da Layla ou do Xcor, por isso fica "A Escolhida") com o Murhder e no livro a seguir vamos vê-lo.

P: Vai haver uma re-edição do Dark Lover (primeiro livro do Wrath, Na Sombra da Noite em Portugal) em capa dura? (esta pergunta não nos afeta mesmo nada :P)
R: Não, a editora precisa de um certo número de encomendas antes de elas serem impressas. Vou lhes voltar a chamar a atenção para isso.

P: Devido à "promoção" do Lassiter (acontecerá no The Chosen), vamos voltar a ver o Eddie e o Adrian (personagens da série d' Os Anjos Caídos da Ward) outra vez, ou ainda vai demorar?

R: Sim. Acredito que eles vão aparecer n' A Escolhida. (FINALMENTE!!!! ESTAVA A VER QUE NÃO!!!!) O Lassiter é tão espectacular, não é? Ele é muito cabrão.

P: O Lassiter sempre teve estar personalidade?

R: É difícil pensar no governante do mundo como sendo um rapaz de fraternidade que nunca cresce. Tentei como que ele parecesse mais calmo a princípio, mas não durou muito tempo. Eu quero saber com quem é que ele acaba. (Já somos duas... E provavelmente mais um milhão de fãs u.u) Eu pensava que sabia e depois já deixei de saber, por isso, agora não sei quem é. Mas os meus Rice Krispies (marca de cereais) irão me informar. (Alerta maluqueira!!!)

P: É difícil alternar entre vampiros e whiskey?

R: Adoro o meu trabalho! Quando estou no mundo da IAN, é lá que estou e quando estou no mundo do Bourbon, é lá que estou e eles nunca se irão encontrar.

P: O que aconteceu com o Episódio Piloto do "The Bourbon Kings"?

R: A NBC (canal televisivo americano) encomendou um manuscrito que percorreu todo o caminho até à produção, mas eles não pegaram nele. Mas o terceiro livro vai sair no próximo verão. Eu aprendi muito à cerca de Hollyhood e eu acho que irei ficar por Kentucky. Nunca se sabe, pode ainda acontecer.

P: Há alguma novidade sobre uma série/filme de IAN?

R: Têm havido pessoas interessadas (até mesmo esta semana). Mas iria ser demasiado dispendioso porque seria necessário muitos efeitos gerados por computador para as conseguir fazer. Os vampiros não estão na ribalta em Hollyhood agora. Se acontecer, aconteceu, se não, paciência! Eu sou uma autora. Eu não quero ser apanhada nas extravagâncias de Hollyhood.

P: Vamos descobrir alguma coisa sobre a fêmea que o Lassiter perdeu?

R: Sim, vão saber mais à cerca dela. (Nota externa - A Ward queria mesmo dizer mais qualquer coisa sobre o assunto mas não podia. Uma mulher voluntariou-se para o trabalho e a Ward disse, "Tem cuidado com aquilo que desejas! Ele é uma mão cheia e meia.")

P: Que vai acontecer com o Santuário da Virgem Escrivã?

R: *A Ward salta para cima e para baixo* Oh. Meu. Deus!!! Estou tão ansiosa para vocês descobrirem! Deixem só dizer que envolve uma bola de discoteca!!!

P: Vamos ver o Delvecchio outra vez?

R: Acho que já vimos tudo o que havia para ver.

P: A Selena vai reencarnar da mesma maneira que o Darius/John Matthew?

R: Vão descobrir n' "A Escolhida". Deixem-me só dizer que, Nirvana tocou em Detroit, Michigan em 1991. (No ano em que nasci!!! Boa!)

P: Sobre quem será o próximo livro do Legado? (O 3º livro, que virá depois da "Jura de Sangue" [Blood Vow])

R: Peyton e Novo. (Sabia que eles iam acabar juntos!!!!) Eeeeeeeee mais alguém! E acredito que o romance do Trez e da Selena também será referido.

P: Alguma novidade num novo Guia da Irmandade? (Que ainda não existe em Portugal... *cutuca a Leya para ver se traduzem*)

R: Já está na altura de fazer um, mas ainda não está planeado. (Também coitada da senhora... Anda a publicar 3 livros por ano de séries diferentes...)

P: O Vishous vai ter outro livro?

R: Não sei. *montes de murmúrios* (Nota externa - A Ward brinca com uma fã que o faria por ela. "Sou muito generosa com os meus fãs")

P: Quem é o teu Irmão/Personagem favorito?

R: O Zsadist. O Lassiter está logo em segundo. (Percebo porquê... É um dos meus personagens favoritos. :D)

P: O Zsadist vai ter outro livro?

R: Eu acho que o Zsadist vai ter outro livro. Também quero fazer - mas ainda não convenci a minha editora - uma pequena série de livros que se passam no futuro e que mostram com quem é que todos os mais pequenos acabam.Maioritariamente, eu quero ver os Irmãos a dar um enxerto de porrada a todos os machos que aparecerem!

P: Quem vai ser a próxima a ficar grávida?

R: *montes de  murmúrios* Provavelmente a Cormia porque nos estamos a aproximar dessa altura na linha do tempo. (O filho do Phury e da Cormia, Ahgony a.k.a Aggie [que só apareceu no guia até agora]

P: Vamos ter mais do Rehvenge futuramente?

R: Sim! A Irmandade vai precisar da ajuda dos Sombras e dos Sympaths para todos trabalharem em conjunto contra um novo mal. Vai haver uma mudança do mal com o Omega. A Procefia do Dhestroyer vai-se tornar realidade no livro a seguir À Escolhida.

P: O Lash vai voltar e quando é que a Devina vai aparecer?

R: O Lash vai voltar, tal como a Devina. Ela vai aparecer MUITO EM BREVE! Ela está aborrecida naquele buraco dela. Eu adoro a integração entre o mundo dos Anjos Caídos e da IAN.

P: No "Peçado do Quotidiano" (Slice of Life) mais recente referiste que a Nalla estava a ter pesadelos. Isso é alguma coisa com que nos temos que preocupar?

R: Devem-se preocupar com qualquer tipo de pesadelos para toda a gente e a toda a hora.

P: O que é que está reservado no futuro do Luchas?

R: Ele vai-se juntar ao programa de treinos e vai aparecer nos livros do Legado da IAN. Eu acho que ele vai aparecer no livro do Peyton e da Novo, ou no seguinte. (O.O)

P: Qual é o teu casal favorito?

R: Wrath e Beth. (Estou certa que para a felicidade da minha Chefinha. :P)

P: O Boo e o George são a mesma coisa? (Desculpem, esta é difícil de traduzir mas acho que tem a ver com o facto de já ter sido referido mais que uma vez, nas interacções Ward fãs que o Boo não é um mero gato)

R: Não posso dizer nada sobre isso.

P: O Throe está relacionado com o Rhage? (Se são da mesma família)

R: Ele não está preocupado com quem é que ele é relacionado.

Ward: Já agora! Vocês vão ODIAR o Qhuinn n' "A Escolhida"! Oh, meu, deus, pessoal! Vão-se passar! Mas tudo acaba bem no final! (Sei que alguém que vai meter as culpas todas na Layla... :/ Mas vamos ver o que sai daqui!! Mal posso esperar pelo livro! :3)

Oh! Throe! (A editora dela estava à espera dela no átrio e gritou: "Ainda te consigo ouvir") Oh, meu, deus! Não estão preparados para o que vai acontecer n' "A Escolhida"! Não vão acreditar! Eu nem acreditei! Não vos estou a mentir! (Porque é que nunca mais é Abril?!?!?! QUERO SABER!!!! T.T)

FIM!!!

----V.O.----

Q&A With J.R. Ward At The Kentucky Bookfair - 11/5/16

*****SPOILER ALERT*****

Q: Can you tell us the next book in the BDB series?

A: No. You'll have to wait until April when I do my annual Q&A in Cincinnati, Ohio.

Q: Will we get more insight on Murhder and when will he show up again?

A: I'm thinking about writing a series around him and the colony down there. There's a major development in "The Chosen" with Murhder and ln the next book we will see him.

Q: Will there be a re-release of "Dark Lover" in hardcover?

A: No. the publisher needs a certain number of orders before they will print. I will bring it to their attention again.

Q: Due to Lassiter's promotion, will we be seeing Eddie and Adrian soon?

A: Yes. I believe Eddie and Adrian show up in "The Chosen". Lassiter's so awesome, isn't he? He's such a motherfucker!

Q: Has Lassiter always had that personality?

A: It's weird to think of the ruler of the world as a frat boy who's never grown up. Tried to play him cool at first, but that didn't last long. I want to know who he ends up with. I thought I knew and then I didn't know, so now I don't know. But my Rice Krispies will let me know.

Q: Is it difficult to switch between vampires and whiskey?

A: I love my job! When I'm in the BDB world, that's where I am and when I'm in the Bourbon world, that's where I am and never the two shall meet.

Q: What happened with the Pilot for "The Bourbon Kings"?

A: NBC ordered the script and it went all the way to production, but they didn't pick it up. But the third book is coming out next summer. I learned a lot about Hollywood and I think I'll stay in Kentucky. You never know, it could still happen.

Q: Anything on a BDB movie/series?

A: There have been people interested (even this week). It would just be way too expensive as there would be a lot of CGI involved to make it. Vampires are not hot in Hollywood right now. If it happens, it happens; if it doesn't, great! I'm an author. I don't want to get caught up in any Hollywood hype.

Q: Will we learn anything about the female Lassiter lost?

A: Yes, you will get to hear more about her. (Side note - Ward really wanted to say more but couldn't. Some woman volunteered for the job and Ward said, "Be careful what you wish for! He's a handful and a half!")

Q: What happens with the Scribe Virgin's sanctuary?

A: *Ward jumps up and down* Oh. My. God!!! I'm so excited for you to find out! Let me just say, it involves a disco ball!!!

Q: Will we see Delvecchio again?

A: I think we've seen the last of him.

Q: Will Selena be reincarnated in the same manner as Darius/John Matthew?

A: You will find out in "The Chosen"! Let me just say, Nirvana played in Detroit, Michigan in 1991.

Q: Who will the next BDB Legacy book be about?

A: Peyton and Novo... Annnnnnd someone else! And I believeTrez and Selena's romance will also be featured.

Q: Any update on another Insider's Guide?

A: It is time for one but it's not scheduled.

Q: Will Vishous get another book?

A: I don't know. *lots of hmm-ing* (Side note - Ward jokes with a fan that she would do it for her. "I'm just so giving to my readers.")

Q: Who is your favorite Brother/character?

A: Zsadist. Lassiter is a close second.

Q: Is Zsadist going to get another book?

A: I think Zsadist is going to get another book. I also want to - but haven't yet pitched it to my publisher - write a small series of books that take place in the future that show who all the young end up with. Mostly because I want to see the Brothers beat the shit out of all the males that show up!

Q: Who's the next to get pregnant?

A: *lots of hmm-ing* Probably Cormia because we're at that point in the timeline. (Phury and Cormia's son, Ahgony a.k.a. Aggie)

Q: Will we get to see more of Rehvenge soon?

A: Yes! The Brotherhood is going to need the help of the Shadows and the Sympaths to all work together against the new evil. There will be a shift in the evil with the Omega. The Dhestroyer Prophecy will come true In the book after "The Chosen".

Q: Is Lash coming back and when will Devina appear?

A: Lash is coming back and so is Devina. Devina is coming VERY FUCKING SOON! She's bored in that hole of hers. I love the integration between the FA and BDB world.

Q: In a recent Slices of Life, you referred to Nalla having nightmares. Is this something we have to worry about?

A: You should be worried about any kind of nightmares for anyone at anytime.

Q: What does the future hold for Luchas?

A: He is going to join the training program and be featured in the BDB Legacy books. I think it will be in Peyton and Novo's book or the next one.

Q: Who is your favorite couple?

A: Wrath and Beth.

Q: Are Boo and Dog one in the same?

A: I can't say anything about that.


Q: Is Throe related to Rhage?

A: He ain't worried about who he's related to. 


Ward: By the way! You guys are gonna HATE Qhuinn in "The Chosen"! Oh, my god, you guys! You're going to have a fit! But it all works out in the end!


Oh! Throe! (Her editor was standing in the hall and yelled out, "I can still hear you!") Oh, my god! You're not ready for what's going to happen in "The Chosen"! You're not gonna believe it! I didn't even believe it! I shit you not!


*****THE END*****
----

O que é que acharam? Eu estou em pulgas com as novidades!!! Eu ia guinchando à medida que as lia xD

Ok, pessoal!!! Por hoje é tudo, fiquem bem e até à próxima publicação,
Sunshine ;)

segunda-feira, 31 de outubro de 2016

IMMORTAL: Gostinho 29 e 30

Saudações Amantes da Irmandade!

Eis aqui mais dois gostinhos de IMMORTAL. Eu e a Nighshade, aguardamos os vossos comentários. Esperamos por mais fãs. Vocês andam muito silenciosos e isso desanima-nos. Mais ainda, acredito, a nossa Nighshade que com tanto carinho faz estas pequenas traduções para nós/vocês.

Então, vamos lá dar um olá. Deixem os vossos comentários.



Immortal 6

Capítulo 29

Jim observava através dos olhos de outro, como se o fim da guerra estivesse a acontecer bem à frente dele. E não havia uma maldita coisa que pudesse fazer. Preso na ilusão de Devina, congelado na cadeira na posição que ela tinha arranjado, ele rugia, mas apenas interiormente. Exteriormente, ele estava aprisionado e mudo, incapaz de se mover, e ao assistir com horror, ele sabia exactamente como isto ia acabar. Sissy ia pegar naquela faca de cozinha, levantá-la bem acima da cabeça, e levá-la direitinha ao peito de Devina, e aquele demónio ia certificar-se de que era um bom alvo a atingir.
No momento em que a lâmina entrasse em contacto com o demónio? A guerra acabaria, e Devina ganharia. Afinal, era a escolha que contava; era a intenção, não o resultado da morte que importava. Aquela faca não ia fazer merda nenhuma ao demónio, mas era tudo o que importava: a encruzilhada de Sissy, mesmo tendo sido fabricada por Devina, era o teste onde ela ia falhar. Aquela raiva e ódio, a merda que Nigel havia falado, estavam esculpidas nas linhas apertadas do rosto dela e do seu corpo, e ela não cedia apenas a eles.
Eles dominavam-na.
Ad estava certo, ela estava possuída.
Nãaaaoooo, ele gritou dentro da sua prisão de pele. Sissy, não!
Devina inclinou-se para trás sobre o bar, como se ela estivesse a lutar para sair do caminho e sem saber para que lado ir, mas ele sabia o que se passava. Ela dava a Sissy todas as oportunidades do mundo para ganhar o tiro mortal.
Deus, ele não acreditava que era assim que o demónio ia conseguir tudo… os vivos e os mortos, os anjos e os arcanjos, a Mansão das Almas e o Céu acima… tudo dela.
A visão dele ficou toldada pelas lágrimas quando tomou consciência de que havia falhado. A sua mãe… Sissy… Adrian e Eddie e os arcanjos…
Estava tudo acabado.
E Devina sabia-o. Da sua posição contorcida sobre o bar, ela atirou-lhe um olhar com a própria cara dele com um manhoso piscar de olho.
Abruptamente, o tempo abrandou até Sissy congelar naquela posição, tudo a tornar-se hiper-focado.
Excepto… espera.
O movimento lento não era percepção. Sissy realmente tinha parado com a faca sobre a cabeça, o seu corpo na posição de ataque… e ela assim permaneceu.
Devina franziu a testa com a cara de Jim, como se o seu parceiro de dança tivesse perdido um ritmo e a tivesse pisado.
Sissy virou-se, mantendo a arma para cima. Os seus olhos estavam ocos como ele já tinha testemunhado, mas não estavam completamente insanos.
- O que estás a fazer? - Exigiu Devina na voz dele.
Sissy baixa a lâmina e vira-se completamente no preciso momento em que uma das lágrimas dele saiu e escorregou pela face ilusória de Devina.
- Para onde estás a olhar? - Rosnou Devina.
Sissy avançou um passo na direcção dele. E depois outro.
Tudo o que ele podia fazer era tentar comunicar através das pupilas que não eram dele, implorando que ela visse para além da mentira.
- Que merda estás a fazer? - Exigia a voz dele.
Sissy ignorou Devina. Estendeu a mão livre e pareceu tocar no ar por cima da cabeça dele. Depois ela baixou-se mais e ele sentiu-a afagar a pele do pescoço dele.
- Sissy - disse Devina. - Serás assim tão estúpida?
Por favor, Deus, ele pensou. O que quer que estejas a ver, continua.
Sissy endireitou-se abruptamente e olhou para Devina.
- Como é que fizeste?
Jim viu a ilusão de si mesmo cruzar os braços sobre o peito dele. Ele continuava nu, mas o seu pénis já não estava duro como uma pedra… aparentemente, Devina havia perdido a sua própria excitação.
- Eu vim até aqui - disse a voz dele -, tirei as roupas dela e estava pronto para fodê-la.
Sissy olhou para trás e para a frente entre eles. E depois, ela responde calmamente:
- Não, não estavas.
***
Sissy ao baixar a faca olha para Jim, que não era de facto, Jim. Ela não sabia muito bem como explicar o facto de cada detalhe dele estar correcto, desde a patilha do lado esquerdo do cabelo dele às manchas dos seus olhos azuis, desde a tatuagem nas costas ao peito poderoso, e no entanto, não era ele.
Jim, o verdadeiro, estava sentado na cadeira. Apesar de se parecer com o demónio centímetro a centímetro.
Havia apenas dois pequenos detalhes que Devina tinha errado. Dois detalhes que, independentemente da imitação do demónio ser perfeita, ela falhou redondamente.
O tremor atingiu Sissy da mesma maneira que a sua fúria a atingia, embalando-a da cabeça aos pés, fazendo-a sentir como se o mundo girasse à volta mesmo sabendo que o hotel estava em terra firme. E foi logo após à rotina giratória ter assumido que ela percebeu que tinha uma maldita faca na mão.
E ela estava prestes a utilizá-la em Devina.
Porque, por qualquer razão, o demónio queria que ela a usasse. Devina havia montado esta mentira… só Deus sabia a razão.
Enjoada com ela própria, ela atirou a faca para cima da mesa de café com tanta força que saltou fora.
- Inferno do caralho! Foda-se! Fodam-se os dois!
E assim, “Jim” desapareceu… e “Devina” voou para fora da cadeira, o corpo feminino explodindo como se tivesse sido libertado de algum tipo de amarra. No meio do ar, Jim emergiu da mentira, tudo o que se parecia com o demónio a ser substituído pelo corpo masculino dele e a sua cara. Ele aterrou como um gato e atirou-se a Sissy, os seus braços envolvendo-a e apertando-a com tanta força que ela mal conseguia respirar.
Ela não era a única que tremia.
- Tu conseguis-te - disse ele com voz rouca. - Conseguiste.
- Não, eu não… eu não…
- Tu salvaste-nos.
- O quê?
Ele afastou-se e beijou-a.
- Como é que tu soubeste?
Ela demorou algum tempo a absorver as palavras e compreender o que ele estava a dizer.
- N-n-nã-ã-oo, a-a-h bolas, não c-c-ons-si-g-go falar.
- Respira, respira comigo.
- Não tinha auréola.
Ele abanou a cabeça.
- Desculpa?
Ela apontou para a coroa na cabeça dele.
- N-n-ã-ã-o ti-ti-nha au-ré-éo-ola. Eu estava prestes… - Ela nem conseguia dizer as palavras. - Eu estava prestes… mas depois reparei que não havia auréola. Tu-tu-tu tens uma auréola… porque és um anjo. E o meu fio… quando olhei para ela… tu, quero dizer, eu vi que ela estava a usar a minha pomba. Foi quando eu soube… mas porquê? Porque quereria ela que eu…
- Tu és uma das almas.
- O quê?
- Deixa-me explicar-te em casa… temos de sair daqui. - Ele olhou em volta para o chão. - Como é que chegaste aqui?
- E-E-Explorer. À entrada.
- Okay, okay, óptimo.
- Do que andas à procura?
Ele inclina-se e pega… num emblema da Mercedes.
- Disto.
- Do carro dela? - Disse Sissy.
- Podes crer. Vamos.
Jim agarra na mão dela e começa a sair do apartamento apressadamente, mas ela puxa-o para o parar.
- Estás nu.
- E invisível.
- Mas não vais ter frio?
- Não há tempo, vamos.
E foi assim que eles acabaram no elevador do hotel, ela com a sua vestimenta de vinte e oito dólares da Target, ele no fato de nascimento que o Senhor lhe havia concedido.
- Eu sou uma das almas? - Disse Ela.
Ele olhou para ela, os seus olhos azuis graves.
- Sim, és.
- Então… esta batalha está ganha?
Jim assentiu.
- Tu igualaste o resultado para nós. Tu escolheste sabiamente… quando paraste. Quando não agistes com raiva ao chegares à tua encruzilhada.
Ele focou-se nos números por cima das portas do elevador, aqueles que se iluminavam sequencialmente, enquanto desciam para o vestíbulo.
- Então, são boas notícias. - Murmura ela.
- Sim. - Ele deu-lhe um aperto na mão e um beijo rápido na boca. - Das melhores.
Então porque é que o seu maxilar encontrava-se cerrado como se ainda estivesse lá em cima a lutar com Devina?
Não, pensou ela. Há qualquer coisa que ele não me está a dizer.



Capítulo 30

No sonho de Adrian, uma tempestade de Primavera tinha desabado sobre Caldwell, mesmo por cima da grande mansão, flashes de raios a fragmentarem-se através das janelas circulares opostas ao sótão. Um formigueiro percorreu o seu rosto, acordando-o. No entanto, como era típico, havia algo que estava errado, alguma coisa que faltava… que era como se sabia que algo não era real.
Não havia tempestade. Apenas rajadas vívidas de luz branca como o açúcar.
Que era evitável colocando o braço sobre os olhos. Sem problemas… excepto que aquela merda tornou-se crítica. Com um «pop» massivo, o transformador que ficava escondido sob o beiral do telhado foi atingindo e uma chuva de faíscas douradas fluíram para baixo.
Ad sai da sua cama improvisada.
Espera um minuto, pensou ele, não havia nenhum transformador debaixo do maldito telhado.
Então, sim, ponderou para si mesmo, foi assim que soube que isto era apenas um sonho.
E, no entanto…
À medida que tentava perceber se aquela merda era real ou não, os relâmpagos continuaram a faiscar sobre a casa, destacando o velho tractor a vapor, prateleiras e roupas vitorianas e…
A parte de trás do pescoço de Adrian arrepiou-se, os cabelos a levantarem de tal forma que ele teve que os coçar para acalmar a irritação provocada.
O som do seu nome a ser sussurrado fê-lo congelar. Com um sentimento totalmente surreal, ele vira a cabeça lentamente na direcção da figura, cuidadosamente embrulhada como um toldo, que estava ao lado dele como uma espécie de extra num filme de Boris Karloff. Com outro clarão a rasgar o céu da noite, a luz bruxuleante penetrou a janela antiga e atingiu o corpo… fazendo com que…
- Vê se te controlas!
Eddie estava morto e daí não poder respirar. Portanto, o seu peito não podia estar a descer nem a subir… porque o tipo estava morto.
O que fosse que tivesse pensado que tinha visto era uma ilusão duma dessas rajadas brilhantes de energia que desapareciam rapidamente. Não era porque…
Outro flash lambeu o sótão através da janela e… o peito estava a subir e a descer. Lentamente, estavelmente… mas sim, de facto estava…
- Foda-se! - Adrian saltou para trás, batendo num dos baús. - Mas que…
Instantaneamente ele acalmou-se, porque percebeu que, oh sim, isto era um sonho. Um desses cenários fodidos que os cérebros dos imortais insistiam em atirar contra a consciência de vez em quando.
- Então, o que vais fazer agora? - Ele murmurou para o corpo. - Sentares-te… oh, okay, e aí está! Fantástico!
A parte superior dos restos enfaixados de Eddie elevou-se hesitantemente até estar em ângulo recto com as pernas estendidas.
Mais relâmpagos faiscaram, como se fosse um sinal.
- Eeeee agora estás praticamente na vertical, como é que vai ser? - Ad olhava para o relógio no pulso se tivesse um. - Vais dar uma de Freddy Krueger? Ou mais numa de Rei Tut? Para tua informação, vai ser impossível assustares-me.
A sua mente não tinha mais terrores para oferecer depois de tudo pelo que tinha passado. Ele já não era tão inventivo. E quanto a esta cantiga? Dentro de um minuto e meio iria acordar alagado em suor frio. Não porque ele tinha medo, mas porque qualquer coisa que tivesse a ver com o seu querido amigo era mais doloroso que todas as dores que ele tinha assumido em nome de Matthias.
Lentamente, a cabeça coberta virou-se para ele, o pescoço a lutar contra as faixas.
- Sinceramente - murmurou Ad. - Se isso é o melhor que consegues fazer, precisas de voltar para a Academia dos Pesadelos, é que, francamente, és uma decepção total.
Cruzando os braços sobre o peito, ele encosta-se contra o baú e olha em volta, à espera que tudo desaparecesse.
Uma das mãos mumificadas estendeu-se e começou a agarrar as faixas à volta do rosto, arranhando-as como se as camadas o tivessem a impedir de respirar. Ad teve que olhar para os pés quando o primeiro pedaço de pele começou a mostrar-se na zona do queixo. Era fodido e demasiado doloroso.
Okay, talvez não tivesse dado ao sonho crédito suficiente.
Uma inspiração profunda e irregular preencheu o sótão, e tudo o que ele podia fazer era abanar a cabeça. Tudo isto era fodidamente cruel.
Abruptamente, os relâmpagos cessaram, a tempestade, ou o que fosse, acabada.
Através da escuridão, ele ouviu:
- Ad…
A voz era rouca, mas tal como as impressões digitais de uma pessoa, era instantaneamente reconhecível como sendo única.
Eddie.
- Ad, onde… estás…
Ad cobriu a cara com as mãos. Ele estava tão errado sobre o seu inconsciente. A ideia de que qualquer «Eddie», mesmo uma hipotética fabricada pelo seu cérebro, de que ele poderia procurá-lo, fê-lo sentir as suas inadequações até à medula. Ele havia feito tantas coisas imprudentes e estúpidas enquanto Eddie estava vivo… não ter estado «no jogo» o suficiente quando aquela hárpia veio por ele.
Ele deveria ter feito alguma coisa naquela noite. Ter ouvido qualquer coisa. Visto qualquer coisa pelo canto do olho.
Para que ele pudesse ter salvo…
- Onde estão as luzes?
Ad franziu o sobrolho. Depois deixou cair as mãos. A deixá-lo arruinar um momento de emoção mesmo a dormir… apesar de não puder dizer que não estava agradecido. Ele esteve ao ponto de se tornar numa rapariguinha, há um momento atrás.
- Ad, não consigo… ver… luzes apagadas ou…?
Certo. Agora ele estava de novo a ficar aborrecido com toda esta maldita situação.
- Está um longo cordel mesmo ao teu lado. - Ele murmurou para a múmia.
Inacreditável.
Click!
A «múmia» continuava elevada, mas tinha conseguido tirar metade das faixas da sua cara, a pele perfeitamente preservada a possuir aquela cor vermelha que Eddie sempre ostentou. E com o pesadelo a falar, aquele queixo mexeu-se para cima e para baixo, os lábios a moverem-se com fluidez.
- Ad, onde estás? Eu… não consigo ver…
- É porque tens os olhos tapados, idiota.
Hora de acordar, disse a si mesmo. Vá lá, faz a mim mesmo um abanão e acorda, foda-se.
A «múmia» estendeu uma das suas mãos enfaixadas e depois, de uma só vez, tirou todas as camadas que envolviam a sua cara. O coração de Ad saltou um batimento… porque o rosto era familiar, tudo desde aqueles olhos vermelhos ao cabelo escuro puxado para trás numa trança, perfeitamente correcto.
A expressão de «Eddie» transformou-se de confusa a choque.
- Deus do Céu… o que te aconteceu?
Ad franziu a testa. Porreiro… claramente, este pesadelo estava a rumar para o estranho. Porque, vá lá, como se o seu cérebro não soubesse o que ele tinha feito a si próprio?
Antes que ele pudesse dizer ao sonho que se deixasse de merdas, ou talvez rolar e bater a si próprio na cabeça para que acordasse, «Eddie» estendeu a mão enfaixada para ele.
- Adrian, o que fizeste enquanto estive fora?
Ad piscou os olhos uma vez. E depois um mal-estar tomou conta dele.
- Isto é um sonho.
- Não, não é. Nigel foi até ao Criador e implorou pela minha vida. Algo sobre Jim pedir um favor por ter tirado o arcanjo do Purgatório? O que tem andado a acontecer… e, oh Deus, estás ferido. O teu olho…
Adrian abriu a boca e gritou a plenos pulmões.
***
Jim, ao conduzir de volta a casa vindo da baixa da cidade, teve que ligar o aquecimento tendo em conta toda a nudez que se estava a passar. Ao seu lado, Sissy estava em silêncio e olhava através do vidro como se estivesse em modo de distracção. Ele também estava distraído… embora ele fizesse um puxão ao cérebro com o que ainda estava para vir, ao contrário do que tinha acontecido.
Oh Deus, ele não sabia como ia conseguir. E ele não estava a falar da próxima e última batalha.
Foda-se, ele nem era capaz de sentir satisfação por ter feito Devina perder esta batalha. Não se debruçara no «Graças a Deus» por ele não ter perdido tudo para o demónio. Nem era capaz de considerar qualquer estratégia para a final/final em que ele estava prestes a enfrentar.
Tudo em que conseguia pensar era em Sissy e fazê-la ficar limpa: não ganharia esta guerra se Sissy não pudesse ir para o Céu.
Virando para a entrada da velha mansão, ele percorreu o caminho até à garagem e estacionou. E quando saiu, ele tapou a sua masculinidade quando deu a volta e abriu a porta a Sissy.
- Desculpa-me por isto. - Ele murmurou ao caminharem juntos em direcção a casa.
- Sobre o quê?
Ele abriu caminho pela cozinha e manteve a porta aberta para ela, estando ali parado com o rabo ao léu, sentindo a madeira fria com as mãos a tapar o seu pénis e testículos.
Um dia, ele prometeu. Um dia ele ia dar-lhe alguma normalidade.
- Tudo até este ponto. - Ele replicou. - Desculpa-me por tudo.
A luz sobre o balcão tinha sido deixada acesa e isso deu uma enorme quantidade dele para se ver, infelizmente. Não que ela o tivesse a verificar ou algo assim… só que ele sentir-se-ia melhor com toda aquela situação se tivesse umas calças vestidas. Cuecas. Um maldito guardanapo a tapar as suas partes íntimas.
Da cabeça aos pés. Era a única coisa em que pensava agora.
Sissy parou na porta que dava para o corredor, bloqueando o caminho.
- O que falta? - Exigiu ela saber.
- Desculpa?
- Falta qualquer coisa. - Ela gesticulou para trás e para a frente no ar entre eles. - E seja o que for, precisas de ser honesto comigo. Porque o que me está a acontecer é o facto que eu posso sentir que algo está errado, e na ausência de saber o que é, a minha cabeça está a tossir todo o tipo de coisas más.
Jim praguejou e deixou cair a cabeça para trás. Ironicamente, apontou os olhos para um velho acessório de luz que havia sido construído em forma de uma estrela tridimensional.
- Estás a assustar-me. - Ela disse com rouquidão.
- Importas-te se vestir alguma coisa?
- Sim, porque sem ofensa, eu estou a apreciar a vista, mesmo com toda esta merda a acontecer.
Ele teve que se rir para ela. Não conseguiu evitar.
- Estás a corar - ela murmurou.
- Estou? - Ele abana a cabeça. - Não sabia que podia.
- Agora, pára de empatar.
- Sissy, eu…
O grito filtrado que veio de cima para baixo era como uma bomba a rebentar, e Jim entrou em acção, correndo à volta de Sissy para a frente da casa. Quando não houve cheiro a fumo, e qualquer outros sons, ele voou escada acima, perguntando que diabo se estava a passar.
- Adrian! - Ele gritou. - Ad!
Abrindo a porta de rompante do quarto do anjo, ele não descobriu ninguém, então foi até às escadas do sótão, subindo os degraus dois a dois.
Ao chegar ao topo das escadas, ele derrapou até parar. Adrian estava esparramado no chão, costas contra um baú, os olhos a mostrarem muito branco, parecia que tinha fatias de ovos em vez de olhos. E na frente dele, Eddie estava sentado, sem as faixas na cara, o resto do corpo ainda a imitar uma múmia.
Os dois anjos olharam para ele… e olharam mais uma vez. Que, considerando o «estou de volta» de Eddie, queria dizer alguma coisa.
- Oh, olá, Eddie. - Disse Jim.
Depois lembrou-se que estava nu. Ao tapar-se novamente, Sissy subiu as escadas atrás dele.
- Oh, meu Deus - ela sussurrou.
A boca de Eddie caiu quando viu Sissy. E depois virou-se para Adrian e exigiu:
- Que porra é que tem vindo a acontecer na minha ausência?


Delicia não é? Seria ainda melhor se este precioso estivesse nas nossas mãos, para que assim o pudéssemos ler todinho.

Beijo fofo

Até à próxima.

*Nasan