quarta-feira, 22 de maio de 2013

Capítulo Sete – Primeira Parte

Sinto-me frustrada com os meus contactos e pesquisas interneteiras. Quase todos os dias vasculho a rede em busca de novidades. Eu só queria um spoilerzito de alguma coisa, mas nada! Ninguém sabe de nada!
No entanto, quero fazer inveja ao pessoal, contente ou infeliz, dependendo de terem ou não Feiras do Livro. Na minha gruta há feiras do livro e do papel todos os dias!... E feiras da ladra também. O meu morceguinho mais velho quer-me vender os livros que tem para comprar outros, alega que o morcego mais pequeno um dia vai querer lê-los e que eu só tenho de abrir os cordões à bolsa… Pois sim… O morcegão pai, que anda em arrumações, despejou a estante dele há duas semanas e organiza a papelada no meio do chão da gruta. Resumindo e concluindo, o pequeno quer as coisas do pai, o irmão quer que ele queira as coisas dele, eu quero que arrumem tudo, que ninguém mexa em nada do que é meu e que não me peçam dinheiro.
Aaaaaaai!
E coisas fixes?
Temos uma anachiva (que deve ser a ex-A ex-ex-Anónima… digo eu!) para desejarmos as boas vindas.
E temos mais Z e Bella! (e só faltam mais 5 ou 6 pedacinhos)


Dedicado às gloriosas amantes de Z (eu xD)!

Capítulo Sete – Primeira Parte

Eram quase cinco da tarde quando Z acordou finalmente como deve ser. Era bom estar na própria cama. Não era tão bom ter uma perna engessada. Rebolando, abriu os olhos e olhou para Bella. Ela estava acordada e a fitá-lo.
- Como te sentes? – Perguntou ela.
- Bem. - Pelo menos fisicamente. O resto, a mente e as emoções eram uma questão em aberto.
- Queres comer alguma coisa?
- Sim. Daqui a pouco.
O que ele queria mesmo era ficar deitado e olhar para os olhos da sua shellan durante um bocado.
Bella deitou-se de costas e olhou para o teto.
- Estou contente por termos falado, - disse ele. Por muito que odiasse o passado, ele faria qualquer coisa para que ela não o deixasse e se isso significava ter uma conversa, ele havia de tagarelar até ficar mudo.
- Eu também.
Ele franziu o sobrolho, apercebendo-se do distanciamento.
- Em que estás a pensar?
Depois de uns instantes, ela perguntou baixinho.
- Tu ainda me queres?
Ele teve que acordar à sério. Ela não podia estar mesmo a perguntar…
- Meu Deus, claro que te quero como minha shellan. Só de pensar que me podias deixar é…
- Digo sexualmente.
Ele pestanejou, a pensar na ereção obscena da noite anterior… só por a ver tirar a toalha.
- Como não?
Ela voltou a cabeça para ele.
- Tu não te alimentas e não me procuras… bem, eu também não, mas o que eu quero dizer…
- Nalla precisa mais de ti agora.
- Mas tu também… pelo menos a minha veia. – Ela abanou a cabeça percorrendo-lhe o corpo com os olhos – Se te tivesses alimentado bem, tinhas partido a perna? Se calhar, não.
- Não sei. Caí um andar… em cima de vidro.
- Vidro?
- Um candeeiro.
- Deus…
Fez-se um longo silêncio, e ele questionou-se acerca do que ela queria que ele fizesse. Será que lhe estava a abrir uma porta para…? A simples perspetiva de sexo acordou-lhe o corpo como se ele fosse um gongo e ela lhe tivesse batido com uma força dos diabos.
Mas Bella ficou onde estava. E ele ficou onde estava.
À medida que o silêncio se estendia, ele pensou em como estavam perto da rutura. Se não fizessem nada para reatar…
Através dos lençóis, pegou-lhe na mão e trouxe-a de volta para o seu corpo.
- Eu quero-te – disse, e colocou-lhe a mão na sua ereção. Com o toque, deixou escapar um gemido e rolou os quadris, empurrando-se contra a mão.
- Ó, caramba… tive saudades tuas…
Envergonhou-se quando viu que Bella parecia surpreendida e fê-lo pensar no momento em que a tinha visto na casa de banho de toalha. Quando ela parou e se viu ao espelho, ela estava a inspecionar o corpo, apercebeu-se ele agora… procurava defeitos que não existiam. E ao vê-lo tapou-se logo, não porque não quisesse atrair-lhe as atenções, mas porque duvidava conseguir fazê-lo.
Ele moveu a mão dela para cima e para baixo do seu membro.
- Estou desesperado para te tocar outra vez. Em todo o lado.
Ela aproximou-se por baixo dos lençóis.
- Estás?
- Como não? Tu és a fêmea mais perfeita que eu já vi.
- Mesmo depois de…
Lançou-se rapidamente para a frente e pressionou os lábios contra os dela.
- Especialmente depois de. – Afastou-se para puder ler-lhe os olhos. – Tu estás tão bonita como quando te vi pela primeira vez no ginásio há tantos dias e noites atrás. Naquela altura fizeste-me parar o coração… imobilizaste-o simplesmente no meu peito. E agora também mo paras.
Ela pestanejou rapidamente e ele beijou-lhe as lágrimas.
Bella… se eu soubesse, eu tinha dito dito qualquer coisa… feito alguma coisa. Parti do princípio de que sabias que nada tinha mudado para mim.
- Desde que Nalla apareceu, está tudo diferente. O ritmo das minhas noites e dos dias. O meu corpo. Tu e eu. Por isso pensei…
- Toca-me, - gemeu, arqueando-se para ela. – Toca-me e ficas a saber… Ó Deus.
Ela tocou-o, pois. Envolveu-o com as duas mãos e acariciou-o para cima e para baixo, a percorrer o duro comprimento.
- Está bom assim? – Sussurrou.
Ele só conseguiu dizer que sim com a cabeça e gemer. Com ela a segurá-lo daquela maneira, envolvendo-o com as mãos, a acariciá-lo, o cérebro tinha-se mais ou menos desligado.
- Bella…
Estendeu as mãos ligadas e parou.
- Merda de gaze…
- Eu tiro-tas. – Pressionou os lábios contra os dele. – E depois podes pôr as mãos onde quiseres…
- Foda-se.
Veio-se. Assim. Em vez de se sentir decepcionada, Bella riu-se naquele tom grave e gutural de fêmea que sabe que vai ter sexo com o seu macho.
Ele reconheceu o som. Adorou-o. Sentiu-lhe a falta. Precisava de ouvi…
Do outro lado do quarto, Nalla lançou um grito de aquecimento que depressa se elevou num choro a plenos pulmões de eu-quero-a-minha-mahmen- AGORA.


É o que dar arranjar crias! He he he
Ai, como eu os entendo...

5 comentários:

E Z é tão fofo quando quer XD
A Nalla tem um "óptimo" timing. *ironia a todo o gás*

Para desespero teu não sou o A nem o Anónimo :-), sou mais calada por isso não comento tanto, mas no último capítulo tive que o fazer porque as lágrimas até me corriam pela cara e neste fiquei com lagriminha no olho porque a Bella e o Z fizeram as pazes. Que hei-de fazer??Sou uma chorona!Também compreendo na perfeição a interrupção final! Só quem tem crias é que percebe bem!eheh. Fico ansiosamente á espera da próxima parte!

E tu paras assim?
Tu não deves mesmo ter noção de como deixas o meu coraçãozinho!
E as coisas a aquecer, o meu cérebro a congelar numa perspectiva de "Oh virgem santíssima do Vápiro, o Z vai-se mandar a ela que nem um animal!" e depois a Nalla chora e tu acabas com tudo e eu fico aqui a ver navios...
Isto não se faz, quando vem a próxima parte?
Acaba com o meu sofrimento ou provavelmente não chego viva ao fim da história!
Mas o que é que eu estou para aqui a dizer, tu já me mataste com o Vishous e as velas, agora sou fantasma como a Jane...
Mesmo assim sofro páh!

Beijinhos linda :)

Eu já li este livro e parecendo impossivel, o Z é ainda mais perfeito. Meu Deus, acho que todas as mulheres sonham ter um homem como o Z tolas seriam se não o quisessem :D
Amo-o sem sombra de dúvidas :)

Quem tem crias entende perfeitamente o que pode fazer uma interrupção num momento daqueles, hehehehe!!! Coitados!!! Mas coitadita de ti também minha menina linda se não te despachas com o resto da história. Chega uma pessoa a casa cansada, irritada e só apanha "1ª parte " do capitulo?!?! Não se faz..é pura tortura.Quero mais!!!! E para que não hajam dúvidas meninas recém chegadas, o Z tem dona(s) , o V também e mais uns quantos também...procurem outro sim??!!
Beijos <3