quarta-feira, 12 de junho de 2013

DOSSIÊS DA IRMANDADE – Questionário 2ª Parte




Para responder à Viviana, é suposto sair outro livro destes, provavelmente com a história do Rhage e a Mary, mas está difícil de sair à cena. Rumores da história daqueles dois, também não existem, parece que está tudo morrido e matado, cego, surdo, mudo e paralítico. Se fosse morcego de apostas, atirava para o final deste ano. E porquê? Porque no final do ano, o The King está pronto - a menos que adiem a publicação para depois de Março – e o que está a impedir a saída da historiazita é esse romance (segundo a JR Ward).

Quanto à sugestão de A., queria dizer que as cenas cortadas também vão ser aqui traduzidas. Mas mais lá para a frente, porque ainda não me debrucei sobre elas. Mas obrigada pela atenção! És linda.

Quem é que já reparou nos períodos de ausência da Alex?
Pois, pois… andamos a confraternizar muito, não andamos?
Tu não achas que já chega?
E que fizeste à Margarida?
Também a arrastaste para maus vícios?
Caramba, está aqui um morCeGuito lindo e ninguém quer saber!...
Eu também quero ir para o fado!

Hoje continuo a mostrar-vos o questionário que a J R Ward apresentou à Irmandade para que respondesse. O Wrath vai continuar a despachar as respostas: o diabo do vampiro não gosta mesmo de papel e canetas! :D
 O Rhage e o V vão ser os verdadeiros reis das respostas.



Dossiês da Irmandade – o questionário


Último presente oferecido à shellan:
Wrath: Brincos de diamante amarelos da Graff para condizer com o anel que lhe dei.
Rhage: Na noite passada, trouxe-lhe uma rosa branca. Ficou toda contente. Olha, a minha Mary Madonna não é uma fêmea materialista. Bem… ok, comprei-lhe um anel de noivado antes da cerimónia de acasalamento, porque ela é humana e eu sei que é assim que eles fazem. É um diamante, porque, já sabes, para a minha Mary só do melhor. A coisa tem sete carates. D. Sem imperfeições. Fritz arranjou-mo em Manhattan no Diamond District. Quando lho dei, Mary foi muito educada e ficou muito agradecida, mas está na gaveta. O que tem no dedo? Uma aliança de ouro que V fez para os dois, porque, como já disse, a Mary é humana e queria que usássemos alianças depois da cerimónia de acasalamento. Engraçado, não conseguia compreender isso das alianças até ter uma. Quer dizer, para nós, para os machos vampiros, gravamos a pele para mostrar que estamos acasalados. Mas o bom da aliança é que todos podem vê-la mesmo vestidos. Eu ando sempre com a minha… a menos que esteja fora a lutar.
Zsadist: Parte de mim quer responder que foi um objeto ou uma coisa assim. Mas acho que o último e melhor presente que lhe dei foi enfrentar a vida e começar a ser verdadeiramente um pai para a Nalla.
Butch: Uma cadeira para a secretária. Há dois dias. A que ela tinha chiava quando girava e não tinha suporte lombar. Por isso levei-a até ao Office Depot e fi-la experimentar uma série delas e comprei-lhe a que ela mais gostou.
Vishous: Nada de especial.

A coisa mais romântica que lhe fizeste:
Wrath: Tens de lhe perguntar a ela.
Rhage: Ela pareceu mesmo gostar da rosa. Digo-te, da maneira como me sorriu, fez-me sentir como se tivesse três metros de altura.
Butch: Não sei. Acho que não sou bom em merdas românticas. Jesus… Não faço ideia.
Vishous: Não sou romântico. É lamechas.
Phury: Terás de perguntar à Cormia. Mas todos os dias certifico-me de fazer uma pequena coisa só para ela. Desde ver se tem a pasta de dentes que mais gosta, ou dar-lhe aulas de condução, ou descobrir uma pena de falcão perfeita na floresta e levá-la, ou surpreendê-la com uma pedra encontrada no ribeiro. As pequenas coisas são importantes – especialmente quando se está a habituar à ideia de ter algo dela e só dela. E, tu sabes… a minha shellan não aprecia joias nem roupas. Gosta de vestir as minhas t-shirts e não é vaidosa, por isso acho que sou eu a mulher nesta relação. É assim… ela tem uma verdadeira afinidade com coisas simples… como a pena. Ela ficou delirante. Era de um falcão de cauda vermelha, e encontrei-a uma noite quando vinha das sessões de apoio e resolvi dar um passeio sozinho. Levei-a para casa, desinfetei a ponta e dei-lha. Ela gosta de coisas coloridas.

A coisa mais romântica que ela te fez:
Wrath: A forma como me acordou uma hora atrás.
Rhage: A forma como me agradeceu a rosa.
Butch: Acordar todos os dias com um sorriso. Tenho gostos caros, mas um pequeno sorriso dela não tem preço.
Vishous: Não sei. Como disse, não sou dado a coisas românticas. Merda… bem, acho que foi o que ela fez com aquela coisa que lhe fiz, apesar de não ser nada de especial. Era um colar feito de elos de ouro… ela, por algum motivo, gosta do meu nome. Da maneira como é escrito. Então, peguei nas letras da Língua Antiga e transformei-as lá em baixo na fornalha em elos para um colar. Queria que o fio fosse delicado para não sentir que tinha dois quilos à volta do pescoço, mas que se conseguisse ler… Caramba, levei tempo como o caralho para conseguir o peso certo e o desenho correto. Tive que escrever o meu nome duas vezes e mesmo assim não tinha comprimento suficiente. Então, juntei o nome dela na Língua Antiga no meio – assim, está rodeada por mim. Adiante. Ela nunca o tira. Ou isso.
Phury: Engraçado que perguntes. A pena de falcão? Levou-a ao Fritz e com a ajuda dele fez com ela uma pena de escrever para mim. O aparo é em ouro e prata. E está num suporte na minha secretária. Uso-a para assinar assuntos relacionados com as minhas contas de investimento e também para a desenhar. Foi, provavelmente, o melhor presente que alguém me deu.

O que mudarias nela:
Wrath: Tê-la conhecido dois séculos mais cedo.
Rhage: Nada, exceto o gosto dela para filmes. DEUS! É assim, honestamente, aquela fêmea vê tudo o que é estrangeiro com legendas. Eu tento gostar, a sério… mas é uma luta. Percebo o que ela quer dizer. Mas depois de ver alguma coisa que ela gosta, tenho de limpar o palato com uma dosezinha de Bruce Willis, ou uma repetição de Superbad.
Butch: Às vezes gostava que não trabalhasse tanto. Não em termos de horas, mas de pressão que ela põe em si própria para salvar todos os que aparecem no Abrigo. Lembra-me de quando estava nos Homicídios. Nem todos os finais são o esperado. Dou o meu máximo para a apoiar e falar das coisas. Faz-me muitas perguntas sobre os casos de homicídio que tive e de como lidava com as famílias. O que ela faz agora e o que eu fiz antes – há muitas semelhanças. Aproxima-nos.
Vishous: É privado.
Phury: Nada.

A última vez que choraste:
Wrath: Não tens nada a ver com isso.
Rhage: Esta tarde. Pensei que La Vie en Rose nunca mais acabava.
Zsadist: Só a Bella diz respeito.
Butch: Eu não choro. Nunca.
Vishous: Sim, claro, vou já responder.
Phury: Vou manter isso em privado, se não se importar.

O última vez que riste:
Wrath: Há cerca de vinte minutos, porque vi a Nalla a descobrir os dedos dos pés.
Rhage: Enquanto comia. Butch fez as panquecas. Havias de ver a cara do Fritz quando viu em que estado ficou a cozinha no fim. Butch domina o fogão, não tão bem como o V, mas, caramba, o meu rapaz não sabe o significado de ir lavando. Aquilo estava simplesmente em pantanas, era como se tivesse sido… desflorada, ou uma merda assim. Eu, o V e o Butch ajudamos a arrumar juntamente com uma série de doggen que, depois de Fritz recuperar, se divertiram imenso a limpar. Os doggen adoram tanto limpar como eu de comer.
Zsadist: Quando Bella me fez cócegas há dez minutos.
Butch: Há bocadinho, quando V mudou a fralda à Nalla. Ele vai-me bater por isto, mas, merda, aquilo foi… Au!
Vishous: Não sei, bater no Rhage foi engraçado… pôs-me um sorriso nos lábios, certo?
Phury: Não há muito tempo. Com a Cormia. Mas o contexto é privado.



Não sei o que é que acharam, mas o Rhage e o V são dois cromos sem nome.

Amanhã vocês vão saber porque é que o V bateu no Rhage. Juro-vos que as mereceu todas! xD




3 comentários:

A coisa mais romântica que lhe fizeste:
- O Butch e o V parecem homens das cavernas xD

A coisa mais romântica que ela te fez:
- E aqui o Butch e o V já não são homens das cavernas :3

A última vez que choraste:
- Tudo machos com M grande xD
- Fartei-me de rir com a resposta do Rhage

O última vez que riste:
- Também quero ver o V a mudar a fralda à Nalla +.+

Para mim os reis deste questionário foram o Rhage, o Butch e o V, principalmente este último.
É raro o Rhage não merecer apanhar.

Minha queridinha! Eu não fugi como a Alex. Continuo aqui todos os dias mas sempre com tanto trabalho e a chegar tão tarde que nem tenho coragem de fazer grande coisa mas...continuo sempre atenta!!!hehehe

Quanto ás escritas...bem...já
conheço mas acho super giro e dá-me sempre vontade de rir. E claro, que o Butch é sempre igual a ele mesmo (como alguem dizia é o nome do cão!!!) e o Phury é um tótó!!! Os outros...sem mais comentários.

Ficou mais contente Dona MorCeGo???

Beijos

WAIT!!!! O Phury não deu nenhum presente à Cormia? WTH?1?!? e o Z não respondeu na cena do romance XD
O Z é fofo, toda a gente está apanhada pela pequena Nalla e o Rhage é demais... eu acho que é o meu irmão favorito.