quarta-feira, 31 de julho de 2013

COISAS DA IRMANDADE


Elou, pipal! (inglês de praia)
Estava a ver que não arranjava um buraquinho para cá vir!

Meninas Denise e Patrícia, abusadoras perversas de morcegos indefesos, a discussão ainda não apareceu e não sei se aparecerá. (eu a fazer-me de difícil e de esquisita mete-nojo)

Hoje vou arrumar um assunto maravilhoso que tem a ver com o Lassiter e o Vishous. Vamos voltar ao fórum e acabar esta parte.

Recordando:
Lassiter foi baleado para salvar Wrath.
Está ferido em parte incerta.
O último local onde esteve estava armadilhado.
Vishous irritou o Wrath


Como estou aflitinha da vida, deixo a treta por aqui.

Beijos bons

ATENÇÃO À LINGUAGEM DESTAS CONVERSAS

SPOILERS PARA ALGUNS






V EM SARILHOS COM O REI
18 Julho, 2006
Vishous
(na mansão
*corre escadas acima*
*bate às portas fechadas do estúdio*
Wrath?
Irmão?
Wrath
(no estúdio)
*esfrega os olhos por baixo dos óculos*
*pragueja e contém a vontade infantil de agarrar na mesinha e atirá-la à lareira*
*grita* V, se entras aqui, estás por tua conta e risco. Estou pelos cabelos contigo.
Vishous
*abre a porta*
*vê Wrath sentado, vestido de t-shirt negra e calças de cabedal. O cabelo de Wrath, agora tão comprido, desce-lhe pelos ombros.*
Então, pá, a sério, eu não ia…
Wrath
O caralho é que não ias sozinho.
Vishous
Ei. Acalma-te aí. Tu não me chamas de mentiroso.
Wrath
*levanta-se devagar* Então não faças de mim parvo.
Falaste com o Z? Com o Phury? Com quem falaste para te dar cobertura?
Aposto os teus tomates em como ninguém sabia o que estavas a fazer. Sabiam?
Sabiam, Vishous?
Vishous
*calcula a raiva de Wrath e apercebe-se de que os dois estão prestes a entrar em vias de facto*
*volta-se*
*Vai à volta*
*tira um cigarro* *acende-o e inala*
Wrath
Ias matá-lo? Caladinho como um rato? E tenta ser honesto. Pode ser que te safes desta para variar.
Vishous
*estica o braço* *aponta o cigarro a Wrath*
Vai-te foder.
Vishous
*apercebe-se do que disse ao rei*
Desculpa.
Wrath
Que se fodam as desculpas, podiam ser que me interessassem.
Responde-me.
Vishous
Se eu fosse para dar cabo dele, para que é que havia de levar primeiros socorros?
Wrath
Sabes, apetece-me acabar-te com a raça. E a atitude está MESMO a ajudar.
Quem ia contigo?
Vishous
*fuma no cigarro* *abre o casaco e exibe a Glock*
O Capitão Nove Milímetros.
Wrath
*dá um murro na mesa*
Achas que isto é uma brincadeira?
Vishous
*fita Wrath, frustrado, zangado*
*tira mais uma baforada do cigarro*
*leva a mão enluvada à boca e tira-a com as presas*
*em câmara lenta, leva a ponta acesa do cigarro à palma da mão brilhante*
*a luz aumenta e o cigarro é reduzido a cinzas imediatamente*
Eu sei cuidar de mim. Não quis que ninguém se ferisse e nós temos muitos heróis de merda por aqui.
Está ferido. Está a morrer. E está a ser perseguido. Eu ia até ele trata-lo e desaparecer-lhe da frente.
É só.
Wrath
Senta-se novamente devagar*
*silêncio*
Vishous
Anda lá, meu Senhor. Deixa-me ir.
Wrath
Confiança, V. Tem tudo a ver com confiança.
Devias ter-me dito. Se fosses apanhado, como é que nós saberíamos o que tinha acontecido?
Percebi a intenção. Mas não nos faças favores, entendido?
Vishous
*dobra-se e apanha a luva* *volta a pô-la*
Então posso ir.
Wrath
*teve que rir*
Sabes, essa frase soaria muito melhor se fosse uma pergunta,. Parvo.
Sim. Vai. Quando cair a noite… que é dentro de, quê?
Vishous
Quinze minutos. Saio daqui a quinze minutos


Pequena Viagem à Merda do Bosque
18 julho, 2006
Vishous
*sai da mansão*
*olha para o céu* *faz má cara e pestaneja*
*verifica a Glock*
*desmaterializa-se em direção ao norte*
Vishous
*materializa-se ao lado da saída 13, na Northway, I-87, em Saratoga Springs*
Na berma da estrada, houve um carro passar e vê as luzes a surgir e a desaparecer*
*os olhos percorrem o bosque à direita*
*cheira a fragrância da terra molhada e de uma noite quente de verão*
Vishous
*vê árvores de troncos finos, cujas folhas impedem de ver o céu*
*diz baixinho*
Paneleiro, a ambulância chegou.
*estica a mão brilhante*
*encontra o centro do peito e sente a pulsação cardíaca*
*emerge uma pulsação da mão ao ritmo do interior do peito que se espalha através da paisagem*
Vamos, paneleiro… levanta o teu mhis, grandalhão. Deixa-me encontrar-te.
Vishous
*a paisagem, subitamente, torna-se uma imensidão plana e branca, as árvores e a erva a desaparecer*
*Lassiter revela-se, caído no chão a cerca de cinquenta metros.
Vishous
*começa a correr e a paisagem volta ao normal*
*abranda*
Ó, merda.
Meu inimigo…
J R Ward
Lassiter está deitado, dobrado de lado no meio do chão, sangue prateado ensopa o chão como uma poça de mercúrio. O cabelo loiro e preto sem brilho, a pele dourada branca como uma pomba.
Os bosques cheiram a flores. O cheiro é da morte de Lassiter, a doçura da alma que sai do seu corpo estilhaçado.
O sol não o salvou. E armadilhou a ajuda de que precisava longe, numa casa fria de pedra.
Vishous
*ajoelha-se*
*tira a mala de primeiros socorros*
Sabes uma coisa, paneleiro?
A morte irrita-me.
Vishous
*vira Lassiter de costas e examina-lhe as feridas*
Aquele minguante deu-te bem.
Mas vais acordar, estúpido.
*põe a mão no meio do peito de Lassiter*
Toca a acordar.
Vishous
*EXPLOSÃO BRILHANTE DE LUZ*
Lassiter
*INSPIRA COM FORÇA*
*O PEITO ERGUE-SE DO CHÃO*
Vishous
*cai de rabo no chão*
Que tal o despertador?
Lassiter
*ofega em busca de ar*
*ofega*
*ofega*
*ofega*
*ofega*
Vishous
*pega na mala de primeiros socorros*
Ok, estás bem? Vou ver como está essa ferida que tens no peito.
Acena com a cabeça se me estás a ouvir e a perceber.
Lassiter
*ofega*
*ofega*
*acena*
Vishous
*baixinho* Foda-se, douradinho, quando morres cheiras a maricas, sabias?
*a visão noturna mostra-lhe uma ferida de bala no pulmão esquerdo*
Lassiter
*ofega*
*levanta a mão devagar*
*mostra-lhe o dedo do meio*
*ofega*
Vishous
*desata a rir*
Ok, caracóis dourados, consigo ver a bala. Vou removê-la e depois vais relaxar e vais curar-te um bocadinho. Depois eu fecho a ferida.
A merda da bala deve ter níquel misturado e foi por isso que te tramou, não foi?
Lassiter
*ofega*
*com dificuldade* Não consegui tirá-la.
Vishous
Pois, é difícil operarmo-nos a nós próprios. *pega numas pinças*
Isto vai doer como…
Lassiter
FODA-SE
Vishous
*continua*
*Lassiter contorcia-se no chão*
Vishous
Já está.
Ok, agora é a tua vez.
Lassiter
********** editado pela administração *****
Vishous
Afasta-se para longe, braço a tapar os olhos*
*cria um escudo para bloquear a força*
Vishous
*baixa o braço*
*vê diante dele um brilho dourado*
Sabes que, vendo bem as coisas, é espantoso como é qua não nos damos melhor.
Lassiter
Respira fundo e olha para o peito*
*olha para Vishous*
É irónico, não é?
Vishous
É…
Bem, queres que feche isso? Ou tens planos de andar por aí com esse buraco no peito?
Lassiter
Fecha.
Vishous
*sorri* Nunca fiquei tão feliz por usar uma agulha.
Nem quando faço tatuagens.
*fecha a ferida com uma série de pontos precisos – fio negro na pele dourada*
*Lassiter agora nem pestaneja – só observa V*
Vishous
*corta o fio à dentada* *coloca a agulha na mala*
*senta-se em cima dos calcanhares*
*silêncio*
Lassiter
*estende a mão*
Vishous
*olha para ela*
*aceita e as mãos unem-se brevemente*
*V levanta-se* *pega na mala de primeiros socorros*
Não tens de dizer nada.
Lassiter
A honra vai obrigar-me.
O círculo ficará completo. Qualquer dia.
Vishous
*inclina a cabeça*
*olha para o céu*
Bem, como diz o meu colega de quarto, ainda não namoramos.
Eu digo aos outros que estás vivo.
Adeus.
Lassiter
Tu conheces o futuro.
Por isso sabes o quando e o onde e o porquê.
Vishous
Essa aplicação não tem andado a funcionar bem.
Acho que tenho de confiar na tua palavra.
*olha para Lassiter*
Irónico como o caralho. É o que é.
Sabes onde me encontrar.
Adeus
******* FINIS **************

Eu gosto destes dois.
Ai, gosto, gosto...
E também gostava de saber a parte cortada...
Ai, gostava, gostava...


2 comentários:

Quem é que não gostava de saber o que está na parte cortada? E nas partes que levantaram questões sobre o Lassi? XD

Obrigada pelas traduções! ;P