terça-feira, 16 de julho de 2013

EXCERTOS de ENTREVISTAS a ZSADIST, BUTCH e VISHOUS

Já tinha saudades de parar e fazer coisas de que gosto!
É duro ser um bichinho lindo!

Vou-vos contar a minha história: primeiro saí do calor para me enfiar numa braseira, passei um fim de semana a ressequir as asas. A seguir, fujo de lá e descubro que me estava a enfiar no inferno; depois, a cria pequena passa toda a semana com febres altíssimas.

E o que tinha? Deus vos responda!

O trabalho que deixei por fazer, achou que não devia fazer-se sozinho e reproduziu-se. A cria mais velha, de invejosa, seguiu o caminho do irmão.

E o que faz um morceguito nestas circunstâncias? Esquece-se que existe, entra em vida suspensa, hiberna para o mundo e enlouquece.

Juro-vos que vi com ar guloso uma corda e uma figueira, mas o meu pescoço tenro, macio e, no mínimo, espetacular era bom demais para se perder.

E o morcegão pai das crias? Boa pergunta. Esvoaçava-se pela gruta, empatava tudo, sujava o que podia e reclamava com a vida, por ter as crias a choramingar e sem saber o que lhes fazer.

No meio disto tudo, a vaga de calor que desaparecia por todo o lado, permanecia encrustada na minha terra. (Hoje, às 9h00, e que está fresquinho, estão 27 graus. Nem quero saber como vai estar a tarde!)

O disco do meu PC teve que ser reformatado, enfiei tudo em pastas, transladei tudo para o disco externo e depois fui procurar as minhas traduções. Descobri que tenho pastas fantásticas com nomes fabulosos: Coisas, Koizas, Vários, Tralha… com ficheiros com o nome: asneiras, mim, eu, morcego, mcg, bu, jjku (jjku?), sdrg, gg…

PQP!
Onde c… enfiei a m… das coisas?
Ainda não sei.
Socorro!

Mas como tristezas de morCeGo, não apagam dívidas, vamos a excertos interessantes da J R Ward às suas personagens! (traduções de ontem à noite)

Espero que gostem.

Ah, e o livro da Payne está à venda a partir de hoje! Yes!



ZSADIST

[V praticamente não fala, enfia-a num carro e leva-a às compras]

Pensei que estava a ser cuidadoso com a forma como tocava nas roupas de bebé por serem o que eram, mas, na verdade, ele trata todas as mercadorias com o mesmo respeito. Parece um assassino em série, a expressão tão negra como os negros olhos, mas as mãos nunca são ásperas. Se pega nalguma coisa de uma prateleira, de uma pilha ou de uma montra e não quer, devolve-a ao sítio onde estava. Se encontra uma camisola amarrotada ou um livro mal colocado na prateleira por outro cliente, ou uma t-shirt torta numa cruzeta, ele põe tudo direito.
Z tem um coração bondoso, é igualzinho ao Phury.
(…)
Fomos calados pelo caminho de regresso, até chegarmos ao mhis que rodeia as instalações. Enquanto a paisagem se turva novamente, olho para Z.

J R: Obrigada por me teres levado.

Houve uma pausa, uma que demorou muito tempo, achei que não haveria resposta. Então, ao chegarmos aos portões da mansão:

Z: (olha e acena com a cabeça uma vez) Obrigado por teres vindo.

BUTCH

[A dada altura da entrevista]

Butch: Estou apaixonado pela Marissa. Mas sem o V estaria morto, e não é só por causa da coisa da cura.
JR: (olhando-o) E foi isso o que mais te surpreendeu?
Butch: É assim, a relação com o V? Não encaixa em lado nenhum, e não tem de encaixar… apesar de às vezes desejar que encaixasse. Sinto que ele não seria tão importante se fossemos só irmãos ou melhores amigos, ou uma merda assim. Já é difícil ser vulnerável perante uma pessoa, como com a esposa. Mas ter este tipo solto no mundo, a debater-se e a enfrentar lessers… Eu preocupo-me com o facto de poder perder os dois, e odeio isso. V sai às vezes sozinho e eu não posso ir com ele, estou sempre a verificar o telefone até ele chegar salvo a casa. Há noites em que eu e a Jane nos sentamos no sofá do Fosso a olhar para a parede. (Pausa.) É uma merda dizer a verdade. Mas eu preciso que os dois estejam bem.
(…)
Butch: A propósito, não é um caso escabroso de incesto.
JR: (olhos abertos) Desculpa?
Butch: Eu e o V sermos assim. Quer dizer, já éramos assim antes do Omega… tu sabes, aquela merda. É claro que o Vishous é o filho da Virgem Escrivã e eu sou… sou o que sou graças ao irmão Dela, mas não há nada de manhoso.
(…)
Butch: Ele [Vishous] está à tua espera na cave.
JR: Não estou ansiosa pelo encontro.
Butch: (sorri) Nem ele. Mas pensa assim, podia ser pior. Podias ter de escrever outro livro sobre ele.
JR: (ri-se) Podes crer.

VISHOUS

[Sente-se inquieta, trocam poucas palavras, não consegue fazer nenhuma das perguntas que queria colocar. V está a fazer adagas novas para Tohr – sabe que ele vai recuperar -  e ela observa-o. No final diz o que se transcreve.]

Para mim, V é como um diamante. Impressiona, fascina, dá vontade de ficar a olhar para ele durante horas, mas ele nunca se aproximará ou dará as boas vindas. Tal como ele, os diamantes não existem para serem cintilantes e reluzentes, ou para alguém os comprar e colocá-los na mão de outrem – isso são apenas as consequências que advêm da incrível pressão a que as moléculas foram submetidas. Todo o brilho vem da dureza deles e dele.
E tanto uns como o outro continuarão por aí muito depois de nós desaparecermos.


Já vos disse que só suporto o Butch por causa do V?
É verdade.

E o meu Z? *suspiro* … *outro suspiro*

Quanto ao livro agora traduzido em Portugal, o conteúdo destas duas últimas entrevistas vai-se confirmar. Ai o meu Vishous maravilhoooooooso...

2 comentários:

Gostei dos excertos e é bom ter-te de volta. ^^

Sim o butch é mais resolvido quanto aos sentimentos pelo V...é amor e ele aceita porque pra ele não envolve desejo nem necessidade...isso é com a marissa....é cuidar...ter conexão. ...é se sentir completo pelo outro e vazio sem ele...sem neuras....mas o V..? Não. ...ali foi paixão. ..desejo....sensualidade...ciúmes. ...possessão. ..até hoje eu não entendi nem ninguém me respondeu porque o V não se vinculou ao butch com toda a carga do que sentia por ele? E apenas alguns instantes depois de conhecer se vinculou a jane....chato isso. Mas era pra ser assim....e se derepente a história do v se demorasse um pouco mais e ele se abrisse um pouco mais....uma shellan, não humana, até que não seria tão ruim pro bad vamp maravilhoso. Ele merecia mais....e o butch aprovaria de verdade.