sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Lover Reborn: Últimas traduções da morCeGo




Bom dia, criaturas amantes de coisas maravilhosas, tipo gajos bons! :D

Não tenho nada para dizer, por isso vou disparatar.

Resposta à Viv: a fralda estava lá, porque a cria não a deitou ao lixo... achou por bem enfiá-la numa gaveta que lá viu aberta e encafuou-a para o fundo para não se ver... As crias pequenas são terríveis! :D
Esta noite passou-a a voar pela gruta. qual galho, qual carapuça! Nada de galho, só queria fado bom... Acho que tenho olheiras até aos cotovelos... E os olhinhos não têm força para abrir muito... Sou um morceguito condenado à infelicidade... :D

Para o dia ficar completo, a minha musa Micas (MMM) não me musou. Pareceu-me até que o fogo da alma dela estava mortiço. Acho bem que arranje umas boas rabanadas de vento para avivar o espírito. Mim precisar de tudo.

Se não recuperar no fim de semana, tiro mesmo umas férias. E a senhora chefinha Nasan que se livre de me ameaçar com chicotes, ou aliciar com vampiraços. Bem diz que mos manda ... A verdade é que ainda nem a sombra deles passou pela gruta... Nasan política. Prometedeira do que não é cumprideira. Só quer afufalhos e dar-me trabalhos. Car alhos! :D

Dedico este spoiler final a todos os que têm vindo espreitar o blogue.

Boas leituras.
Beijos bons. - Um especial para a minha amada humana ;) Ainda me vão prender por causa desta merda… o meu morcegão que saiba… pede-me logo o esvórcio e põe-me umas cuecas num saco plástico à porta da gruta!... He he he…


SPOILERS PARA ALGUNS
Lover Reborn




[Autumn, levada pelo raio de luz, vai ter a uma imensidão branca e vê uma porta]

Quando uns braços a enlaçaram pela cintura a arrastá-la para trás, ela atacou, com as presas de fora mordeu o grosso braço…
- Foda-se! Au!
A voz indignada de Lassiter interrompeu-a, acalmando-lhe o corpo até que retomou a respiração.
A porcaria da porta estava absolutamente ilesa. Indiferente. Inexpressiva.
- Estupores, - gritou. – Estupores!
O anjo virou-a e abanou-a.
- Ouve-me… tu não estás a ajudar. Tens de te acalmar, caralho.
Ela recompôs-se, com muita força de vontade. E começou a chorar.
- Porquê? Porque é que nos estão a fazer isto?
Voltou a abaná-la.
- Ouve-me. Eu não quero que abras essa porta… Fica aqui. Quieta. Vou fazer o que puder, ok? Não tenho grande influência, se calhar nem tenho nenhuma… Mas vou tentar, caralho. Tu ficas aqui onde estás, e pelo amor de Deus, não abras aquilo. Assim que o fizeres, entras no Fade e eu não posso fazer merda nenhuma. Estamos entendidos?
- O que é que vais fazer?
Olhou para ela por um longo tempo.
- Talvez esta noite, finalmente, vá ser um anjo.
- O que… Não percebo…
Lassiter segurou-lhe o rosto com ambas as mãos.
- Vocês os dois fizeram tanto por mim… diabo, estivemos todos num in Between. Por isso, vou oferecer tudo o que tenho para vos salvar aos dois… veremos se é o suficiente.
Ela segurou-se à mão dele.
- Lassiter…
Deu um passo atrás e acenou-lhe com a cabeça.
- Fica aqui e não tenhas grandes esperanças. Eu e o Criador não temos a melhor das relações… É provável que até seja incinerado à vista. Nesse caso, sem ofensa, mas estás fodida.
Lassiter virou-se e caminhou na brancura, o enorme corpo a desaparecer.
Fechando os olhos, Autumn enrolou os braços à volta do corpo e rezou para que o anjo fizesse um milagre.
Rezou com tudo o que tinha…


Se há coisa que eu gosto é da linguagem angelical do Lassiter… He he he… Expressivozinho, não é?


[Algum tempo depois…]


- És … és mesmo tu?
Em resposta, ela atirou os braços à volta dele e abraçou-o com força, ele não conseguia respirar… e graças a Deus. Porque isso significava que ela estava ali, não é? Tinha de estar… não é?
- Lassiter… Lassiter conseguiu… O Lassiter salvou-me.
Tentou acompanhar o que ela dizia.
- O que… O que é que tu… Não percebo nada do que…
A história acabou por sair várias vezes, de diferentes modos, porque a cabeça dele não conseguia compreender nada. Qualquer coisa sobre ela ir para o Fade, e o anjo aparecer e dizer-lhe…
- Ele disse que ia dar tudo que tinha para nos salvar. Tudo…
Tohr afastou-se e tocou no rosto de Autumn, no pescoço, nos ombros. Ela estava ali como ele estava. Ela estava tão viva como ele. Ela tinha sido salva… por aquele anjo?
Lassiter tinha dito que seria livre se tudo funcionasse.
A única explicação possível foi ele ter trocado o futuro dele… pelo deles.
- Aquele anjo… - sussurrou. – Aquele estúpido anjo…


E a forma delicada como tratam o Lssiter… Um mimo…


[Qhuinn e Blay]

Blay não baixou os olhos.
E pela primeira vez… Qhuinn também não.
Não sabia se a emoção era por causa do primo – possivelmente era – mas ele aceitava-a: devolveu o olhar a Blaylock e deixou sair tudo o que tinha no coração para o rosto.
Deixou a merda toda sair.
Porque havia uma lição a tirar da cerimónia do Fade desta noite: podia-se perder aqueles que se amavam num piscar de olhos – e ele era capaz de apostar que, quando isso acontece, não se pensa nos motivos que os separava. Pensava-se nos motivos que os mantinham juntos.
E, é claro, como se gostaria de ter mais uma oportunidade. Mesmo quando se tem séculos…
Quando somos jovens, pensamos que o tempo é um fardo, algo para despachar o mais rápido possível para que se cresça. Mas é um engano… Depois somos adultos e apercebemo-nos que os minutos e as horas são a coisa mais preciosa que se tem.
Ninguém vive para sempre. E é a merda de um crime desperdiçar o que nos dão.
Já chega, pensou Qhuinn. Já chega de desculpas e de subterfúgios, e tentar ser outra pessoa, ser um outro qualquer.
Mesmo que fosse rejeitado, mesmo que o precioso ego pequenino e o burro do coraçãozinho fosse estilhaçado em milhões de cacos, era altura de parar com a estupidez.
Era hora de ser macho.
Blay começou a endireitar-se, como se tivesse recebido uma mensagem, pensou Qhuinn: Pois é, amigo.
O nosso futuro chegou.


Ahhhhhh… Blheglhegueblee…


[Epílogo]

Na noite seguinte, Tohrment deu uma volta na cama e encontrou o corpo de Autumn entre os lençóis. Estava quente e recetiva quando a montou, as pernas a afastarem-se para ele, dando-lhe as boas-vindas quando entrou e se moveu dentro dela.
Tinham adormecido juntos, mergulhando naquele tipo de descanso que se tem quando se termina uma viagem e se vê a casa a reaparecer no horizonte.
- Dá-me a tua boca, minha fêmea, - disse suavemente na escuridão.

(…)

A campainha da porta tocou alto e a bom som.
Franzindo a testa, Tohr olhou para o relógio antigo na porta da despensa. Duas da tarde? Quem é que diabo…
A campainha toca outra vez.
Atravessando o chão de mosaico, preparou-se para chamar os irmãos se tivesse de ser e espreitou pelo monitor…
- Ó diabo!
- Quem é?
Tohr pôs Autumn no chão, abriu o mecanismo que trancava a porta interior e pôs a fêmea atrás de si para o caso de passar a luz do dia.
Lassiter entrou como se fosse dono daquilo, a arrogância de regresso com toda a força, o sorriso tão aberto e atrevido como sempre, o cabelo loiro e negro ponteado de flocos de neve recentes.
Tohr e Autmn olharam para ele de boca aberta, ele levanta dois sacos enormes da McDonald’s.
- Trouxe Big Macs para todos, - disse alegremente. – Sei que gostas deles, lembras-te?
- O que… - Tohr agarrou com mais força a sua shellan, só para o caso de… Bem, merda, da maneira como as coisas andavam ultimamente, podia acontecer qualquer coisa. – Que estás aqui a fazer?
- É o teu dia de sorte, animal. – O anjo deu uma voltinha, os pírcingues a reluzir. – Parece que éramos três a sermos testados, e eu também passei. Quando me ofereci por vocês os dois, fiquei livre… e depois de pensar um bocado, decidi que preferia estar na terra a fazer boas ações do que lá em cima nas nuvens. Porque, tu sabes, estava-me a dar bem e esta merda da compaixão fica-me bem. Para além disso, no céu não há Maury.
- É o que o distingue do inferno, - sublinhou Tohr.
- Tens razão. – O anjo abana a carga altamente calórica e altamente gordurosa. – Então, que dizes? Também tenho batatas fritas. Não há sundaes. Não sabia quanto tempo iam demorar a abrir-me a porta e não queria que derretessem.
Tohr olha para Autumn. Ambos olham para o anjo.
Em simultâneo, dão um passo e abraçam-no e, quem diria, o desgraçado abraçou-os também.


Eu gosto do Lassiter… O meu anjo dono do mundo… He he he… Havíamos de nos dar muito bem… se ele deixasse…Ouviste, Nasan?

Bom fim de semana.


1 comentários:

Como eu digo, o Lassi é fofo, toda esta tradução foi fofa! Adorei! XD