terça-feira, 5 de novembro de 2013

Lover Reborn - XHEX



Mmbooks! Há quanto tempo! Segredo: amanhã há Qhuinn outra vez...

Houve uma altura da minha vida que pensei seriamente mudar de sexo, ainda tentei, mas ninguém me quis. Atualmente, penso em mudar de mamífero. Se os humanos podem ser tantas vezes burros, serem autênticos cavalos, camelos, gostarem de ser ratos de biblioteca, cães, porcos, ursos, alguns serem piores que lobos… para não falar das vacas, ovelhas, mulas e tanta outra coisa... vou mudar de mamífero.

Confesso que foi com olhar interessado que observei documentários da vida das preguiças. Ser preguiça é o paraíso. É que não fazem nadinha. E o que fazem é devagar, devagarinho e parado…
Acho esta ideia extremamente apelativa.

Outra ideia que tive foi matricular-me num Jardim Zoológico.

Aquilo é muuuuuuuuuuuito melhor que uma escola. Ouvi dizer que aquilo é comer e dormir todo o dia. Há por lá uns humanos que fazem a limpeza das instalações, não nos dão aulas, nem querem que a malta estude. É como um hotel, mas sem a conta no final. Só há um problemazito, (mas vou entrar em contacto com o pessoal de lá para ver se a coisa se compõe) há falta de convívio e a história das grades e dos cadeados dá-me volta ao miolo.

Não percebi muito bem qual é a ideia de privarem o intercâmbio cultural. Então eu não ficaria muito mais bem servida se passasse a asa num garanhão? Claro que era! E se um gato me passasse a língua na pelagem? Ui, ui! Quem diz isso, diz passar o dia em práticas de coelho… Eu sei lá! Tanta experiência enriquecedora… E com os vampiros? Valha-me a santa protetora!... Até fazia o esforço de aprender tudo com eles! :D

Se aparecer uma petição para que a aproximação inter-espécie seja uma realidade, pensem em mim, assinem e, com jeitinho, ainda lucramos todos! He he he…

E hoje, nesta terça-feira que insiste em parecer-se com a segunda, trouxe uma guerreira! Xhex! Nada como fêmeas úteis à sociedade, desenrascadas e lutadoras.

Para quem ainda não acordou, recordo que Xhex e John vão viver momentos complicados no Lover Reborn. Basicamente, para John, o lugar das shellans é em casa, trancadas no quarto a olhar para o pó dos móveis. Para a Xhex, o lugar de pitos inexperientes é em casa, as guerras são para quem sabe. Assim sendo, discutem, discutem - o resto da Irmandade (machedo a favor das shellans nos quartos) parecem apoiar John - e eles separam-se. Ai, a parte em que fazem as pazes... pito, ou não, aquele John... Ahhhh... Como não ladra, aquele vampirinho sabe morder... :D
 Ora, certo dia, Xhex foi chamada por Wrath, a pensar que era para o "divórcio".

Beijos bons.



SPOILERS PARA ALGUNS
Lover Reborn

 Dedicado a todas as fêmeas guerreiras amantes da Irmandade!


Quando chegou ao estúdio de Wrath, havia tanta aprovação no ar que ela, praticamente, teve de empurrar aquela merda para o lado para poder entrar: Os Irmãos de peito inchado de orgulho… exceto Qhuinn, que corava tanto que parecia prestes a explodir como um foguete.
John, no entanto, parecia reservado, não olhou para ela, fitava qualquer coisa no chão à frente dela.
Por trás da secretária, Wrath direcionou a atenção para ela.
- Agora vamos ao trabalho. – Anunciou o rei.
Ela não tinha ideia do que estava a acontecer, mal que as portas se fecharam por trás. John continuava a recusar-se a passar o olhar por ela…. E, merda, o rei tinha uma ferida no pescoço – partindo do princípio que ele não achava que gaze branca era uma forma de se impor pela moda.
Todos se calaram, arrumaram-se e ficaram sérios.
Ó, merda, tinham que fazer isto à frente de toda a Irmandade?
Mas, de que estava ela à espera? A opinião de grupo era tão importante nestes machos que, obviamente, queriam todos estar presentes quando as coisas acabassem.
Ela manteve-se firme.
- Vamos acabar com isto. Onde é que eu assino?
Wrath enrugou a testa.
- Desculpa?
- Os papéis.
O rei olhou para John. Depois para trás.
- Isto não é o tipo de coisa que fique escrito. Nunca.
Xhex olhou em volta e focou-se em John, a ler-lhe a grelha emocional. Ele estava… nervoso. Triste. E com uma determinação tão poderosa que ela ficou momentaneamente estúpida.
- O que é que se passa aqui? – Perguntou.
A voz do rei foi alta e clara.
- Tenho uma missão para ti – se estiveres interessada. Algo que tenho a certeza que conseguirás despachar com exímia precisão. Isso se nos quiseres ajudar.
Xhex olhou chocada para John.
Ele era o responsável por aquilo, pensou. Fosse qual fosse a engrenagem que trabalhava naquela sala, tinha sido ele a colocá-la em movimento.
- O que é que fizeste? – Perguntou diretamente para ele.
Isso fez com que olhasse para ela. Erguendo as mãos, disse, Há limites para o que podemos fazer. Precisamos de ti para isto.
Olhando para Rehv, obteve seriedade como resposta… e nada mais. Nada de censura, nada de meninas-não-entram. O mesmo do resto dos machos na sala. Não havia mais nada para além da aceitação calma pela sua presença… e pelas suas capacidades.
- O que querem exatamente de mim? – Perguntou devagar ao rei.
Enquanto o macho falava, continuou a olhar para John, enquanto escutava coisas como Bando de Bastardos… tentativa de assassinato… covil… espingarda.
A cada frase, as sobrancelhas dela erguiam-se mais.
Ok, não tinha nada a ver com venda de bolos nem merdas dessas. Isto era para localizar o inimigo, infiltrar o seu domínio protegido e retirar todo o armamento de longo alcance que pudesse ter sido usado para tentar matar Wrath na noite anterior.
Assim, conseguiria dar à Irmandade, se tudo corresse como o esperado, as provas que necessitavam para condenar Xcor, e os seus soldados, à morte.
Xhex pôs as mãos na boca… para não esfregarem uma na outra de contentamento. Isto era exatamente do que gostava: uma proposta irrecusável apoiada num princípio que ela era capaz de compreender – vingar-se de alguém que nos tentou foder.
- Então, o que te parece? – Perguntou Wrath.
Xhex olhou para John, querendo que ele olhasse para ela novamente. Como não o fez, limitou-se a reler a grelha emocional: ele estava aterrorizado, mas determinado.
Ele queria que ela fizesse isto. Mas porquê? Que diabo tinha mudado?


E mais não conto.
Piu, piu!
Querem saber o resto?
Quando sair o livro, comprem-no!
Ah, pois é…




1 comentários:

Adoro as tuas traduções, Morceguinha fofinha ;P
Quando vir a tal de petição assino, não te preocupes ^^