sexta-feira, 16 de maio de 2014

THE KING – Spoilers - WRATH



Olá.
Mim doente.
Mim tem vida de cão.

Mim tem saudades vossas e da Micas nem se fala... Oh, mia muzo...

Espero voltar em breve.

Beijos bons e bom fim de semana.

SPOILERS


[Wrath estava no chuveiro do centro de treinos e, subitamente, é imobilizado e tem uma faca encostada ao pescoço. Era a Payne.]

- Ambos sabemos que te podes libertar se quiseres. Consegues dominar-me num piscar de olhos, – demonstraste-o bem ainda há pouco, no ginásio.
- E?
- E se te surpreendi uma vez, posso fazê-lo outra vez. E, se calhar, para a próxima, não gasto saliva a tentar provar que somos iguais.
- Tens noção de que sou o Rei.
- E eu a filha de uma divindade, cabrão.
Com esta, soltou-o e afastou-se.
A cobrir os genitais com as mãos, ele virou-se para a encarar. Ele nunca a vira, mas tinham-lhe dito que era parecida com o irmão, alta e poderosa. Aparentemente, tinha o mesmo cabelo negro e aqueles olhos claros e gelados também – a inteligência era algo que ele podia julgar por si próprio.
Pelos vistos, também tinha tomates.
- Eu posso matar-te, - disse ela seriamente. – Quando quiser. E não preciso de nenhuma arma convencional. És mais forte do que eu, sim, admito. Mas sou capaz de coisas que tu nem imaginas.
- Então porque é que não as usaste?
- Porque não te quero mandar para a sepultura. És necessário aqui. És imprescindível para a raça.
A merda do trono.
- Então, o que estás a dizer é que te ias deixar matar no ginásio?
- Não me ias matar.
Oh, sim, ia pois, pensou ele enjoado.
- Olha, Payne, podemos andar às voltas deste assunto durante uma ano e meio e não iremos a lado nenhum. Não volto a lutar mais contigo. Nunca mais.
- Não estás à espera que aceite um argumento baseado no meu sexo…
- Não, espero que respeites o meu relacionamento com o teu irmão.
- Não venhas com merdas para cima de mim. Sou maior de idade e acasalada. Não admito de modo algum que o meu irmão me controle seja de que forma for.
- Quero que te fodas. O Vishous é meu irmão. Tens ideia do que ele passaria se te matasse? – Fez um gesto com a mão na cabeça. – Importaste de descer das alturas e pensares nisso? Mesmo que não desse merda nenhuma por ti, achas que lhe ia fazer isso?
Silêncio, ele teve a impressão de que ela ia responder. Mas como não o fez, praguejou.
- E sim, tens razão, - admitiu. – Lutas bem o suficiente para seres um Irmão – e eu lutei com eles durante anos, por isso sei. Não estou a acabar com isto por seres uma menina. É pelo mesmo motivo por que o Qhuinn e o Blay não podem ir para o terreno juntos, e a Xhex – se decidir luta connosco – não será autorizada a estar na equipa de John. É o que leva a Dr.ª Jane a não operar o teu irmão ou a ti. Algumas coisas são demasiado próximas, percebes?
Por trás da água corrente, ele ouviu-a a andar, os pés descalços quase inaudíveis nos ladrilhos.
- Se fosses o irmão dele, em vez da irmã, - disse Wrath, - ia dar ao mesmo. O problema sou eu e não tu, por isso, faz um favor a ti própria e sai do púlpito feminista em que estás. Estás a aborrecer-me.
(…)
- Tu acreditas que não irias parar, - disse ela roucamente.
- Não. – Ele fecha os olhos, o remorso a picar-lhe o peito. – Eu sei que não iria. E, como eu disse, não tinha nada a ver contigo. Por isso, pelo amor de Deus, deixa isto e deixa-me terminar o duche.
Como a conversa não se desenvolveu, Wrath sentiu-se a enervar outra vez.
- O que foi?
- Deixa-me perguntar uma coisa.
- Isso não pode esperar…
- Os Irmãos treinam entre si, não é?
- Não. Andam muito ocupados com as aulas de crochê.
- Então porque é que não treinam contigo? – A voz dela tornou-se mais baixa. – Porque não manténs a forma com eles? Isso mudou desde que subiste ao trono?
- Depois de cegar completamente, - cuspiu ele. – Mudou nessa altura. Queres uma data precisa?
- Imagino se concordariam com isso se eu perguntasse.
- Estás a sugerir que consigo ver. – Expõe as presas. – A sério?
- Não, pergunto-me se algum dos irmãos lutaria contigo depois de assumires verdadeiramente a coroa. Tenho a sensação de que a resposta seria não.
- Podes-me explicar porque é que isto é relevante? - Interrompeu ele. – Porque a tua outra opção é veres-me perder a cabeça outra vez e nós sabemos como da primeira vez foi engraçado.
Quando ela voltou a falar, a voz estava mais longe como se tivesse ido para o arco de acesso aos cacifos.
- Acho que o único motivo porque lutamos é porque sou fêmea. (…) Acredito que és mais chauvinista do que pensas.
- Foda-se, Payne. A sério.
- Não vou discutir contigo. Porque é que não vais perguntar à tua shellan?
- O quê?
- Pergunta-lhe o que ela sente quando tem de lidar contigo.
- Sai. Antes de me dares motivos para te apertar outra vez o caralho do pescoço.
- Porque é que ela não quer que saibas onde está enquanto trabalhas?
- Desculpa?
- As fêmeas não têm segredos para machos que as respeitam. E não digo mais nada. Mas cego, ou não, tens de ver melhor como de facto és.
Wrath foi atrás dela pelo chão molhado.
- Payne. Payne! Vem já aqui.
No entanto, estava a gritar sozinho.
A fêmea tinha-o deixado sozinho.
- Meeeeeeeeeeerda! – Gritou a plenos pulmões.

(The King, capítulo 10)


 Ui, fêmea brava...
Só ela e a minha musa...

E a Nasan também vai ficar... só falo na Micas... :D

bbmmm


3 comentários:

Tchi... Lembra-me para não ir parar à lista negra da Payne... :/
Bem vinda de volta ao blog! Já sentia a tua falta! ;)

Ui!! se eu fosse a Beth ia ficar muito chatiada....

Aaaaa q cena baitaaaa... ai q saudade da payne ,adoro ela . Senti saudade de vc morcego tavas muito sumida ... obrigada pelo spoiler :)