segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Livros acabados em gente



(Divergente, Insurgente e Convergente de Veronica Roth)


Foi a propósito de uma conversa que tresli no fiçabuca, penso que iniciada pela Adelina, que me lembrei de escrever sobre estes livros.

Mim tentou lê-los em inglês há um tempaço de anos atrás. Não consegui. Aquilo embrulhava-se-me no cérebro pequeno e, a páginas tantas, parecia que me espetavam alfinetes nas asas cada vez que tentava ler mais uma página. Desisti. Para sofrer, basta-me as agruras da gruta! (as agrutas da vida…)

Este ano saiu o filme (já lá vamos) e voltei a pegar, desta feita em português. Não li o primeiro e saltei para o segundo e já sei que o filme não tem metade do que aconteceu no primeiro livreco… o normal…

Resumindo a coisa (e para compreenderem porque é que não consegui ler o bicho à primeira): tudo se passa numa cidade com uma grande vedação à volta. A sociedade divide-se em 5… ok, 6... grupos ou fações:

Existem os Abnegados (gente sem ocupação e que se dedica a ajudar os outros… de que vivem?!....), os Cândidos (na minha terra são os malcriados que não têm tento na língua e que dizem tudo o que pensam. Gente que é sincera e diz a verdade e não faz mais nada), os Cordiais (gente feliz e alegre porque, como trabalha na agricultura e aquilo não faz mal às costas, passam a vida a cantar e a rir), os Eruditos (pessoas inteligentes responsáveis por todas as áreas do saber. Basicamente, tudo quanto há de útil está aqui: médicos, economistas, mecânicos, informáticos, professores… tudo o que exija estudo e cérebro e muito trabalho de investigação e queima pestanas), os Intrépidos (gente de coragem que garante a segurança, mas que só fazem tatuagens, dão murraças uns aos outros, trepam a edifícios, saltam para e de comboios em andamento e os líderes têm menos de 20 anos… Na minha casa, chama-se trastes a desocupados desses e aprendizes de malandragem.) e os sem-fação (sem abrigo disfarçados).

Lembram-se da parte da cidade ter uma vedação à volta? Nenhum Abnegado altruísta foi tentar ver se alguém precisava de ajuda do outro lado. Nenhum Cândido foi sincero a ponto de dizer que aquela vedação é estúpida. Nenhum Erudito sentiu curiosidade científica para saber o que há do outro lado. Nenhum Intrépido foi corajoso o suficiente para saltar a vedação. Nenhum Cordial tão feliz com a vida teve otimismo para pensar que há coisas boas por lá. Nenhum sem fação discriminado se iluminou a pensar em sair da cidade e criar uma só para eles. – Primeiro nó.

O Segundo nó aparece com os ditos divergentes. Toda a gente é tipo ovelha, exceto os divergentes, pessoal com aptidão para várias áreas e que são o alvo, literalmente, a abater. As personagens principais são divergentes e a fulaninha que conta a sua história forja um teste de aptidão e mente a dizer que lhe deu Abnegação. Ninguém acha estranho que depois siga caminho pelos intrépidos. Tirando dar porrada e correr, esses Intrépidos são gente sem pensamento válido (se tivessem, eram Eruditos), daí que ninguém mata a fulaninha quando começa a fazer perguntas incómodas, a mandar bitaites certeiros e a colocar tudo em causa. Acham normal. Eu não achei.

Terceiro nó: A dada altura, ligam fios ao pessoal e injetam-lhe coisas para saberem para o que são aptos (é o dito cujo teste de aptidão) e depois fazem uma cerimónia em que furam uma mão e deixam cair sangue num recipiente símbolo de uma fação. A partir daí ficam a pertencer a essa fação. Para quê? Santo Morcego das Opções! Para que é a cerimónia corta quase o pulso? Para quê a palermice? Hello… fizeram um teste leitor de cérebros!...

Quarto nó – Os Eruditos querem tomar o poder (que está na mão dos Abnegados, sabe lá Deus porquê!) e usam umas simulações manhosas que controlam o cérebro da malta. Uhhhh, gente má… Mas se é tudo ovelha, como é que se lembraram de querer tomar o poder? Se todos fazem o que lhes dizem, para que são as simulações?

Ok, acho que já entenderam. Vamos ao filme.

O filme tem pontos altos: o aparecimento do Theo James, a boca do Theo James, a voz do Theo James, a tatuagem e o corpinho todo do Theo James.

Como é que consegui pegar nos livros a partir daí? A sonhar com o Theo James!...

He he he

Beijos bons!

Boas leituras!

2 comentários:

Morceguinha tiras te me as palavras da boca. Comecei a ler os livros apenas de pois de ver o filme. (Aquele Quatro é perfeito..... baba, muita baba....). De qualquer forma o primeiro livro até está giro mas depois a coisa descambou por ali fora... Na minha opinião a escritora queria escrever uma saga e então meteu muita palha muita coisa sem interesse... Mas já lês te os 3 livros? Para mim foi um suplicio terminá-los...

Bem vinda de volta, Morceguinha. Eu ainda só vi o filme, mas tenho o primeiro livro ali na prateleira... Vamos ver se me vai custar muito a ler ou não, mas acho que nada bate os artigos. xD