Criticas aos Livros


Classificação: 5/5

Cada livro da colecção da Irmandade da Adaga Negra centra um dos Irmãos, ou seja, um dos Guerreiros desta Irmandade. O primeiro livro, Na Sombra da Noite, é sobre Wrath, o Rei-Cego dos Vampiros.

Darius é um Irmão da Irmandade da Adaga Negra que morre vitima de um acidente provocado pelos Minguantes, humanos mortos pela mão do Ómega, cujo único propósito é destruir os vampiros. E quem é o Ómega? Podemos simplificar esta resposta dizendo apenas que, o Ómega é o mal e a Virgem Escrivã, criadora dos vampiros, é o bem.
Continuando, Darius morreu, mas não sem antes pedir um favor a Wrath, - o Rei-Cego dos Vampiros, puro-sangue, que se recusa a assumir o seu reino - que este socorra a sua filha meio-humana, Beth, durante a sua transição, onde Beth se tornaria uma vampira adulta. Wrath nega, e vocês podem questionar-se porquê. Bem, simplesmente quando um vampiro passa pela transição há duas coisas com que vai acordar necessitado. Sangue e sexo. E sendo Beth meio humana, e Wrath um puro-sangue, seria possível que Beth não morresse durante a sua transição, o que é raro entre os vampiros.
Tendo Darius morrido, Wrath volta atrás na sua decisão e resolve ajudar Beth. Enquanto se tenta aproximar desta aos poucos uma coisa que o nosso rei não esperava é que pudesse vir a querer fazer de Beth a sua rainha...

Posso afirmar que este livro não é mais um livro de vampiros. J. R. Ward conseguiu renovar a ideia de vampiro e dar-nos novas perspectivas sobre esta raça que todos achávamos que já não tinha mais ponta por onde se pegar. Vampiros que não se tornam vampiros porque foram mordidos, mas sim por direito de progenitura, mas que vivem anos até atingirem a maturidade suficiente para passarem pela transição. Vampiros que não bebem de humanos, mas sim de outros vampiros. Seres que não têm medo de imagens cristãs, e que comem como nós. O único cliché? Morrem com a luz do sol. No entanto, quase que não nos apercebemos que falamos de um livro de vampiros, pois a história centra-se em guerras travadas, amores e problemas pessoais. Muitos de nós podem mesmo identificar-se com estas personagens. Assédio no trabalho, vicio em drogas e álcool, dilemas de responsabilidade e amor. É um livro que aconselho vivamente, principalmente devido à sua leve escrita.

*Katley



 Classificação: 5/5


Cada livro da colecção da Irmandade da Adaga Negra centra um dos Irmãos, ou seja, um dos Guerreiros desta Irmandade. O segundo livro, Na Sombra do Dragão, é sobre Rhage, o Irmão com uma grande maldição.

Rhage é um lindo vampiro, - alto, loiro e atlético - o que originou a sua alcunha entre os Irmãos, Holliwood. No entanto, nem tudo é perfeito para este Irmão. Há muitas décadas atrás Rhage cometeu um grave erro que originou uma maldição. Durante cem anos este Irmão teria que controlar uma besta dentro de si, que quando libertada, não distinguia quem era amigo ou inimigo.
Certa vez, e graças a um jovem vampiro pré-transição, Rhage conhece Mary, uma humana com uma doença terminal que conquista o coração do nosso Guerreiro. Sem saber porque, a besta fica descontrolada sempre que Rhage e Mary estão juntos. Será Rhage capaz de controlar a besta quando está com Mary? Tudo isto leva Rhage a pensar se fugir do seu amor não será a única solução de modo a manter-la a salvo.

Esta história é capaz de provocar lágrimas aos leitoras mais sentimentais. A história de amor deste casal, que só pelo facto de um ser vampiro e o outro humano já é complicada, torna-se ainda mais quando um tem uma doença terminal e o outro uma besta interior a controlar. Mais uma vez, o leitor esquece-se que se trata de um livro de vampiros e vê uma história de amor impossível, onde vemos a luta pela vida e pelo amor, assim como os sacrifícios que um homem apaixonado é capaz de fazer pela sua amada...

*Katley


Classificação: 5/5


Cada livro da colecção da Irmandade da Adaga Negra centra um dos Irmãos, ou seja, um dos Guerreiros desta Irmandade. O terceiro livro, Na Sombra do Pecado, é sobre Zsadist, o Irmão com um maldito passado.

Zsadist é o irmão gémeo de Phury, e ambos são guerreiros na Irmandade da Adaga Negra, no entanto o passado de Zsadist não foi fácil. Após o nascimento dos gémeos, Zsadist é raptado e, quando passado pela transição, torna-se um escravo de sangue. Em que consiste um escravo de sangue? É quando um vampiro é usado por uma Senhora como fonte de sangue e sexo. Tendo vivido anos desta forma, Z, como é tratado, tornou-se um vampiro frio e rancoroso, com um sistema nervoso bastante sensível. Mas tudo muda quando conhece Bella.
Bella é uma vampira da glymera, - o equivalente a nobreza - que se afastou da familia de modo a fugir do controlo do seu irmão, Rehvenge. Também ela, tal como Mary, foi levada até à Irmandade devido a John, um jovem vampiro pré-transição. Quando conhece os gémeos, não é Phury que atrai a sua atenção, mas sim Zsadist. Aquele macho torturado e cheio de cicatrizes representa tudo o que Bella sempre quis. Liberdade e selvagidade, misturada com uma sensibilidade escondida.
Enquanto Bella luta pelo seu amor, Zsadist foge do mesmo enquanto tenta atirá-lo para o seu irmão gémeo. Neste livro encontramos um triângulo amoroso, repleto de luta, fuga, vicio e amor, mas será um acontecimento inesperado que mudará o rumo de tudo...

Vou ser sincera, este é um dos dois livros que eu mais gostei da Irmandade. Todo este triângulo amoroso, a personalidade atormentada de Zsadist, o amor de Phury pela apaixonada do irmão, e o facto de Bella conseguir ver através de Zsadist é, deveras, apaixonante e emocionante. Este livro pode dar para chorar, mas caso isso não aconteça, um aperto no coração o leitor poderá sentir. J. R. Ward conta, pormenorizadamente, tudo pelo qual Zsadist passou. Todos os abusos, todos os traumas, todas as lutas... É fascinante ver o desenvolvimento desta história. Ver como, apesar de tudo, o temeroso Zsadist se apaixona e foge desse amor como um bebé assustado. Se algum leitor já tiver sofrido qualquer tipo de abuso, poderá identificar-se com Z. Culpando-se por tudo o que lhe aconteceu, achando que não é merecedor de qualquer forma de amor por se achar "sujo" devido a tudo o que passou. É, realmente, um livro cheio de emoções. E Phury? Se já alguém gostou da namorada de um irmão, ou então do namorado da irmã, poderá identificar-se com Phury neste livro. E Bella? Bem, se já gostaste de um rapaz atormentado, irás rever-te na Bella. Um livro que não poderão, mesmo, perder.

*Katley


Classificação: 4/5


Cada livro da colecção da Irmandade da Adaga Negra centra um dos Irmãos, ou seja, um dos Guerreiros desta Irmandade. O quarto livro, Na Sombra do Desejo, é sobre Butch, o nosso policia humano.

Butch era um detective de Cadwell que, após se envolver com a Irmandade devido a Beth, foi impossibilitado de voltar à sua antiga vida, o que não foi, de todo, custoso. Na sua vida humana, Butch nunca se sentira completo. Depois da morte da sua irmã e do afastamento da sua familia, Butch estava sozinho no mundo. Quando se aproxima da Irmandade, este chui, como é tratado pelos Irmãos, vive a vida que nunca teve e descobre o amor.
Marissa é uma fêmea da glymera, irmã de um médico e pertencente ao Conselho dos Princeps - uma espécie de Governo -. Antes de Wrath acasalar com Beth, Marissa era parceira deste, mas nunca tendo conseguido atrair a atenção do Rei, manteve-se intocada. Devido ao desprezo do Rei e às acusações da glymera, Marissa começou a ser olhada de lado, tanto por machos como por fêmeas, e começou a pensar que a mesma nunca teria a oportunidade de ser feliz, até conhecer Butch. Marissa sentiu com Butch, pela primeira vez, o olhar de desejo por parte de um macho, mas a sua condição de humano levou a que o seu irmão se opusesse à relação. Isto e um misto de mal entendidos leva a que este casal demore tempo a ficar junto, mas quando a Irmandade resolve tornar Butch um dos seus, uma réstia de esperança surge.

Este livro, tal como os anteriores, abrange problemas amorosos. A diferença de raças entre Butch e Marissa, misturada com a posição social desta e o seu irmão, irão dar muitos problemas a este casal. Devo é apontar que serão problemas a mais. Penso que a autora se excedeu um pouco no tempo dado aos problemas deste casal, levando-nos a ter pensamentos como "Oh, vá lá! Outra vez?". No entanto o mesmo é compensado com o sentido de humor do personagem Butch, com a sua evolução, com as atitudes do irmão de Marissa e com as cenas de Rehvenge. Para além de tudo isto temos Vishous e o seu elo com Butch.
Mais um livro de escrita leve, com uma mistura de seriedade e humor.

*Katley



Classificação: 5/5


Cada livro da colecção da Irmandade da Adaga Negra centra um dos Irmãos, ou seja, um dos Guerreiros desta Irmandade. O quinto livro, Na Sombra do Sonho, é sobre Vishous, o Irmão com um segredo escondido.


Vishous, e como já podemos ver em livros anteriores, nutre um sentimento para além da amizade por Butch. No entanto, neste livro vamos ficar a perceber melhor o que se passa.
Neste livro vamos conhecer um lado do Vishous que nunca vimos. Um lado mais sombrio e estranho, que advém da sua juventude e de seu pai. Bloodletter, pai de Vishous, era uma espécie de capitão de exército que exigia horrores do seus soldados. Vishous, apesar de ser seu filho, era tratado como qualquer outro. humilhado como qualquer outro, talvez até mais. Bloodletter exigia dos seus soldados insensibilidade, maldade até, pois acreditava ser esse o factor essencial num soldado de sucesso. E a mãe de Vishous? Este nunca a conhecera, mas esta situação mudaria em breve.
Numa luta com um minguante, Vishous é atingido com um tiro e, sendo descoberto por humanos, é levado para o hospital.
A Dra. Jane Whitcomb é uma cirurgia de sucesso e directora do sector de urgências do hospital de Cadwell. Certo dia Jane opera um paciente no mínimo intrigante. Com seis válvulas no coração em vez de duas, o paciente desperta a investigadora que há em Jane, e esta resolve investigá-lo, mas tudo muda quando é raptada pelo seu paciente.
Vishous não pôde evitar nutrir aquele sentimento de pose pela cirurgia que o operou, principalmente quando, com ela, as suas visões voltam. No entanto, e durante o cativeiro da médica, ambos deixam de ser a vitima e o raptor e algo mais nasce, mas Vishous sabe que terá que a deixar ir e lhe apagar toda a memória, pois tem novas obrigações. Enquanto Primale, Vishous teria que acasalar com todas as Escolhidas - mulheres treinadas pela Virgem Escrivã de modo a procriarem com puros-sangue e darem novo ímpeto à raça - de modo a criar vampiros puro-sangue e aumentar o número de Guerreiros da Irmandade. Mas escolherá Vishous o amor ou o dever?

Aqui está a minha dúvida. Não consigo, decididamente, escolher entre este livro e o Na Sombra do Pecado. Cada um à sua maneira, são livros que nos prendem quase sem nos deixar respirar. Se antes via Vishous como o génio gay da Irmandade, ao ler este livro mudei completamente de opinião. Vishous é um vampiro que nunca soube o que era amor, pois desconhecendo a mãe e tendo um pai que nunca o soube ser realmente, para além de ter tido sempre que lutar pela sua sobrevivência e ser dotado de poderes assustadores, V, como é conhecido, encontra em Butch o sentimento mais próximo do amor que alguma vez sentiu. Mas é com Jane que ele descobre o que é estar, verdadeiramente, apaixonado.
Nesta história vamos poder descobrir a história de Vishous e maravilhar-nos com ela.
Ao descobrir quem é a sua mãe vê-se deparado num beco sem saída. Ser Primale das Escolhidas e sacrificar-se pela raça, o que não era assim tão grave até se ver apaixonado pela cirurgia humana. Confesso que chorei quando Vishous tem que tomar a decisão de expulsar Jane, definitivamente, da sua vida.
A história de Vishous é emocionante e capaz de fazer-nos verter uma lagrimita mais que uma vez durante o livro. E soltar uma ou outra gargalhada com a relação deste com Butch. Um livro a não perder. Completamente!

*Katley

Classificação: 4/5


Cada livro da colecção da Irmandade da Adaga Negra centra um dos Irmãos, ou seja, um dos Guerreiros desta Irmandade. O sexto livro, Na Sombra do Amor, é sobre Phury, o Irmão com um grande vicio.

Phury é um vampiro muito altruísta. Passou a sua pós-transição à procura do irmão desaparecido, salvou-o e sacrificou a sua perna e o seu amor por ele, mas todo este altruísmo tem uma consequência. Phury é viciado em álcool e fumo vermelho, uma droga vampirica. O último ato altruísta de Phury foi substituir Vishous enquanto Primale.
Cormia é uma Escolhida da Virgem Escrivã e é eleita Primeira Companheira do novo Primale, no entanto Cormia nunca viveu satisfeita enquanto Escolhida e é preparada, contra a vontade, para o seu destino.
Quando Phury entra na sala onde deve consumar a cerimónia enquanto Primale, encontra uma Escolhida acorrentada e assustada. Incapaz de a magoar, Phury leva Cormia para o Outro Lado, mas sempre sem consumar algo com esta.
Com o passar do tempo, Cormia deixa de temer Phury e começa a desejá-lo, mas sente que o Primale está longe da sua posse devido ao amor que o mesmo nutre por Bella, a sua cunhada.
Phury continua envolvido no seu vicio e começa a cometer graves erros que quase lhe custam a vida e que chegam mesmo a custar-lhe a confiança da Irmandade e o seu posto enquanto Irmão. Lutando com a voz na sua cabeça que afirma que o mesmo não é merecedor de amor, Phury dá uma no cravo e outra ferradura com Cormia, deixando a Escolhida sem saber o que pensar.
Enquanto isto, um novo mal surge, um ente saudoso regressa, outro vive e o caos instala-se no mundo dos vampiros.
Será que Phury irá deixar o vicio e assumir o seu amor? E como ficará o seu papel enquanto Primale?

Se algum leitor já teve problemas com qualquer vicio, poderá rever-se em Phury. Durante todo o livro Phury é o típico viciado que não consegue manter uma única promessa quando a mesma está relacionada com o seu vicio. No entanto, o lado bom de Phury sobressai sempre e o mesmo continua a preocupar-se mais com os outros do que consigo mesmo.
Cormia é tudo o que uma Escolhida não devia ser, uma fêmea de personalidade forte e independente, que nada tem a ver com a sua beleza angelical e frágil. Mesmo sendo forçada a assumir o papel de Primeira Companheira do Primale, Cormia acaba apaixonada por este e, como quando se ama, passa a querer o Primale só para si. No entanto, o dever sobrepõe-se ao amor e Cormia decide prescindir do seu para o bem da raça.
A história de amor destes dois é bonita, mas pouco explorada. Lembro-me que, sempre que um capitulo sobre estes dois estava a ficar entusiasmante, de seguida tínhamos vários capítulos com outros personagens. Tal como o vicio de Phury, penso que este é tratado de forma muito rápida. Nem tanto ao céu nem tanto à terra, digo eu. No entanto não consigo dar menos de um 4 a este livro, pois cada capitulo nos prende completamente- É também um livro repleto de acção, talvez seja o livro com mais ação de todos os livros até agora desta colecção. Para além disso segredos vão ser revelados, sejam eles de Rehvenge, de Blaylock, ou até de Lash...

*Katley


Classificação: 5/5

Cada livro da colecção da Irmandade da Adaga Negra centra um dos Irmãos, ou seja, um dos Guerreiros desta Irmandade. O sexto livro, Na Sombra da Vingança, é sobre Rehvenge, o Irmão que será libertado pelo amor.

Assustadoramente viciante. Os romances da Irmandade da Adaga Negra, de J. R. Ward, apresentaram aos leitores um mundo diferente, criativo, obscuro, violento e completamente incrível. Agora, enquanto os guerreiros vampiros defendem a raça dos seus assassinos, a lealdade de um macho para com a Irmandade será posta à prova – e o seu perigoso sangue impuro será revelado. Caldwell, Nova Iorque, é, desde há muito, campo de batalha para vampiros e seus inimigos, a Sociedade dos Minguantes. É também o lugar onde Rehvenge demarcou o seu território como um barão da droga e proprietário de um infame clube noturno que fornece os ricos e bem armados. E é exatamente pela sua reputação sombria que ele é abordado para matar Wrath, o Rei Cego e líder da Irmandade. Rehvenge sempre manteve distância da Irmandade, apesar de a sua irmã ser casada com um dos membros. Por ele ser um symphath, a sua identidade representa um segredo mortal, cuja revelação pode levá-lo a ser banido para uma colónia de sociopatas. E enquanto as conspirações dentro e fora da Irmandade ameaçam revelar a verdade sobre Rehvenge, ele volta-se para a única luz que ilumina o seu mundo de escuridão cada vez mais profunda – Ehlena, uma vampira que nunca conheceu a corrupção que o controla – a única coisa que existe entre ele e a destruição eterna.

A história de Rehvenge dá-nos a conhecer, mais de perto, a raça sympath, à qual ele e Xhex pertencem, mesmo que só pela metade. De modo a proteger este segredo, que caso descoberto levá-lo-ia a ser expulso da comunidade vampírica, Rehvenge submete-se, durante anos, aos desejos sexuais e possessivos da princesa dos sympath, a qual lhe causa nada mais que nojo. Também de modo a sustentar os vícios da referida princesa, Rehvenge tem um negócio paralelo de venda de drogas, o qual é muito rotativo. No entanto, tudo muda quando conhece Ehlena, uma enfermeira vampira da clínica de Harvers.
Ehlena tem um pai doente mental, que raramente se encontra lúcido. Descendente de uma família de poses, mas com o nome e as poses arrastadas na lama, Ehlena luta para manter a sua vida minimamente equilibrada. Quando conhece Rehvenge, Ehlena põe em risco a sua profissão por aquele homem que tanto medo lhe provocava, mas não mais. Não tarda a Ehlena estar completamente apaixonada por este vampiro. Mas os castelos das nuvens deste casal irão desvanecer-se quando Ehlena descobrir os dois segredos de Rehvenge, seu lado sympath e o seu negócio paralelo. Irá Ehlena perdoar o amor da sua vida?

*Katley


Classificação: 5/5

Cada livro da colecção da Irmandade da Adaga Negra centra um dos Irmãos, ou seja, um dos Guerreiros desta Irmandade. O sétimo livro, Na Sombra do Destino, é sobre John Matthew, o Irmão que está destinado a amar aquela que noutra vida ajudara a nascer.

Todos pensam que John Matthew é filho de Darius, Irmão falecido da Irmandade, no entanto nem tudo é o que parece. John é, na verdade, Darius reencarnado.
Ainda enquanto Darius, num passado remoto, o Guerreiro salvara uma fêmea que fora raptada por um sympath, tendo engravidado deste. Assim sendo, Darius assistiu ao nascimento da mestiça, de nome Xhexania, mais conhecida por Xhex. Algumas décadas depois, Darius reencontra Xhex enquanto John e ambos se apaixonam, mas esta relação não será fácil, visto Xhex ser meio sympath.

Eu deveria cotar este livro com 6 valores ou mais, mas não posso. Digo isto, pois este é o meu livro preferido da irmandade até então, e já li todos os que saíram no país. E então porquê, perguntam vocês? Há amor, sexo, ação, drama, tal e qual como nos restantes livros, mas as dosagens são bem repartidas e mais profundas. Este livro fez-me entrar na história, sentir os personagens de uma forma que nenhum dos livros anteriores da série conseguiu.
Xhex é uma mestiça, metade vampira, metade sympath, e toda a sua vida sofreu por saber que, além disso, era consequência de uma violação e que a morte da sua mãe fora, em parte, culpa sua. A sua infância foi passada na procura de um lar, um lugar onde pertencesse, mas a sorte nunca esteve do seu lado. Quando conheceu Rehvenge, conheceu o mais próximo de família que alguma vez tivera. Mas a sorte voltou a fazer das suas e levou a que Xhex perdesse o amor da sua vida devido ao seu lado sympath. Tudo isto levou Xhex a fugir do sentimento que cresce cada vez mais por John, o rapaz mudo e escanzelado que se transformou no vampiro mais fantástico que alguma vez conhecera.
John amara Xhex desde o momento em que a viu pela primeira vez. Na altura, John era apenas um miúdo pré-transição, escanzelado e frágil, mas essa fragilidade não era apenas física, era também psicológica. John tem um passado muito parecido com o de Xhex. Passou a vida à procura de um lugar onde pertencesse, de alguém que o amasse. Essa busca só lhe trouxe abandono e abuso.
Duas almas frágeis que se apaixonam, podem unir os cacos mutuamente e transformar-se numa só alma, mas para isso é preciso que uma vida de sofrimento possa ser deitada para trás das costas, e o primeiro passo é partilhar.

*Katley

9 comentários:

A saga é tão boa que se torna difícil de escolher o melhor livro.
Mas penso que o 1º livro com a Beth e o Wrath foi o que me causou mais impacto.Não conhecia esta escritora e fiquei agradavelmente surpreendida e a partir desse momento fiquei fã incondicional.
Estou desejosa que saia o 7ºlivro da saga.

Simplesmente viciante. Consigo viver a historia como em nenhum outro livro. Ainda me falta 7 que espero conseguir esta semana...

Para ezta colecao so tenho 2 palavras. FAN TASTICO!!!

Admito que já li os sete livros e adoro, estou tão ansiosa pelo oitavo (do John) que nem aguento a espera e vou ler em inglês. Escolher o melhor é dificil mas penso que para mim os três primeiros são os meus favoritos.

Ass. Sara

Eu sou viciada nesta saga! Adoro todos os livros e muitas das vezes quando estou a ler esqueco-me completamente da vida real! Já li todos os livros editados em Portugal, vou agora começar o da história da irmâ do Vishous, a Payne e estou super entusiasmada! Acho que quando ler o último livro desta saga, a minha vidda não vai ser a mesma :(

Saudações,

é verdade eu nem quero pensar nisso... mas como se costuma dizer, tudo o que é bom chega ao fim...espero que esse fim ainda esteja bem longe :)

*nasan

'Na Sombra da Paixão', o 11º livro, saiu, foi comprado e lido em 2 dias. Adorei! O problema desta saga é que a escritora não consegue acompanhar o meu ritmo de leitura. Estou ansiosa pelos próximos. Quando será???

Pois....Os livros devoram se....E agora esperamos e esperamos pela escolhida..... Vá lá..... Não se aguenta tanta espera.....