sábado, 1 de junho de 2013

Hoje é dia de Qhuinn e Blay!

Eu acho que a Denise tem toda a razão!
E como foi ela a única a pronunciar-se (há excepção da pessoa ameaçada ontem), este capítulo é dedicado a ela!

É todo teu Denise ;)

E por isso hoje sou eu que trago Qhuinn/Blay…
MorCeGo! Eu estive a discutir o teu castigo.
A tua sentença é uma noite presa no “condomínio” do Vishous… Ele lá tratará do castigo! Ih ih
Não vos quero fazer esperar mais!
Aproveito apenas para dizer que estão à vontade para criticar a minha triste e medíocre tradução…
Aproveitem e por favor não se babem!
Já vai haver demasiadas pessoas a serem apanhadas desprevenidas por aqui… Cala-te boca!

====SPOILERS!!!====

[Isto é o que vocês já conhecem!]

Qhuinn jurou que a vingança seria terrível.
            E ele não via a hora de ela chegar. Retraiu as presas e parou de beber antes de estar saciado – a fome tinha sido substituída por outra coisa e já estava mais do que na hora de mandar Selena à vida.
            Pôr a Selena fora de maneira educada e expedita foi uma manobra automática… não fazia ideia do que estava a dizer… mas, pelo menos, ela sorria e parecia contente, por isso não deve ter dito asneiras.
            No entanto, quando trancou a porta, estava bem consciente.
            Quando se voltou, viu Blay deitado a tomar conta de si próprio a mão a acariciar-se para cima e para baixo no meio das pernas. As presas ainda expostas por causa da alimentação, os olhos brilhantes por baixo das pálpebras semicerradas e, caramba, era intenso.
            Qhuinn livrou-se das botas. Das calças. Da camisola.
            Blay ejaculou antes de ele se aproximar da cama, o macho curvava-se, a cabeça tombou para trás para a almofada e os quadris projetavam-se para a frente.         
            Como se ver o rabo despido de Qhuinn fosse demasiado para ele.
            O. Melhor. Cumprimento. De. sempre.
            Qhuinn atacou a cama, saltou para cima de Blay, encontrou aquela boca de veludo e devorou-a. Rasgaram-se roupas… os botões das calças de Blay voaram e aterraram como moedas no chão, a camisola ficou desfeita. Ficaram pele com pele, nada a separar-lhe os corpos.
            Contorciam-se um contra o outro, Qhuinn sabia o que queria e estava demasiado desesperado e esfomeado para pedir com delicadeza… ou falar disso.

[Menina MorCego coloca (…) aqui;
Menina Alex desvenda!]

Isto: (…)
Significa…
|
            Tudo o que ele podia fazer era romper com aquela boca, rolar para longe de Blay… e alcança-lo por trás, puxando o outro macho para ele.
            Como sabe, Blay assumiu a partir daí. E sabia exactamente o que fazer…
            Qhuinn sentiu-se posicionado com as mãos ásperas, antes que percebesse, estava de joelhos, o rosto no colchão, respiração a martelar para fora da sua boca. Era tudo tão estranho, deixar alguém assumir o comando – e ele sentiu-se vulnerável, também, mesmo através do querer—
            - Oh foda-se! – Ele berrou como a possessão foi atingida, as sensações de dor e prazer, alongamento e acomodação, misturando num cocktail que o fez vir com tanta força que viu estrelas.
            E então Blay começou a mover-se.
            Qhuinn apoiou os braços e deu para trás, segurando si próprio enquanto aquela coisa da virgindade acabava, mas bem.
            Oh, homem, foi uma corrida incrível, e só ficou melhor. Enquanto os braços de Blay serpentearam à volta do peito e o prenderam, o ângulo mudou, as penetrações foram fundas e fundas, rápidas e rápidas, a cama a começar a balançar para trás e para a frente contra a parede, a respiração ofegante no seu ouvido a crescer mais dura e dura…
            A extremidade foi a única grande queimadura que ele já havia sentido, a vantagem não só da sua libertação, mas também de Blay, apertando-o todo, as coxas a apertar, a sua pélvis a inclinar para a libertação, os seus grandes braços a segurar os dois para fora da cama—
Quando o Blay se veio, o impulso bloqueou-o dentro com tanta força que a cabeça de Qhuinn bateu contra a parede – não que ele tenha notado ou importado. E então aquele “pau” começou a sacudir-se freneticamente…
            E Qhuinn sentiu-se bem e verdadeiramente possuído pela primeira vez na vida.
            Foi… nada mais que um milagre.

            Naturalmente, demorou algum tempo para Blay ter o seu preenchimento. E, curiosamente, Qhuinn estava totalmente bem com isso.
            Quando as coisas eventualmente chegaram a uma pausa que durou mais do que um minuto e meio, Qhuinn aliviou a tensão nos seus braços e afundou-se na cama, virado para o lado.
            Os braços de Blay ficaram no sítio.
            E isso importava agora, apesar de toda a experiência, foi o peso, solto e pesado sobre ele. Deitados como estavam, fez deles, não dois homens que fizeram sexo e aconteceu ficarem lado a lado… Mas amantes.
            Na verdade, ele nunca teve um amante antes – e não porque ele ficou no fundo pela primeira vez na vida. Ele teve bastante sexo. Mas nunca tinha sido alguém que ele quisesse para abraçá-lo depois. Nunca ninguém que ele queira segurar de volta.
            Sim… Blay foi o seu primeiro verdadeiro amor.
            E embora perdesse a honra quando se tratava deste homem, parecia apropriado que Blay fosse dele. Ninguém pode nunca tirar o teu primeiro – e ele sentiu-se sortudo. Ele tinha ouvido através de boatos que muitas das vezes era muito doloroso – para fêmeas – ou apenas um encontro louco, nada registado.
            Isto, ele se lembraria para sempre.
            Atrás dele, Blay ainda continuava a respirar profundamente, o calor a radiar dele, os corpos deles ainda juntos.
            E Qhuinn queria tirar proveito deste sitio tranquilo: Tão lentamente – talvez como se ele não de move-se muito depressa o homem não nota-se – ele cobriu o antebraço do Blay com o dele… depois pôs a mão sobre a do amigo.
            Chegando os olhos, ele rezou para que isto estivesse bem. Que eles pudessem ficar assim apenas por um bocado.
            Foda-se, o repentino medo que ele sentiu não foi nada menos que uma tortura, e fê-lo pensar sobre a natureza da coragem.
            Especialmente o pouco que ele tinha disso quando foi ter com Blay.
            Vindo do nada, ele lembrou-se de dizer ao homem que ele só se via com uma fêmea, a longo prazo. Essa foi a razão pelo qual ele não pegou no que Blay estava a oferecer. Na altura, ele quis dizer cada palavra – mas ele não olhou muito longe por dentro da convicção.
            Ele tem sido um covarde na altura, não tinha.
            - Deus, sinto-me em carne vida. – Ele sussurrou.
            - O quê? – veio uma resposta sonolenta.
            - Sinto-me… - Exposto.
            Como se Blay o afastasse agora? Ele quebraria em pedaços que nunca mais ficariam corretos juntos novamente.

|
Fim do: (…)

[Aqui também já conhecem!]

            Blay fungou e esticou o braço, puxando Qhuinn mais para si em vez de o afastar.
- Estás com frio? Estás a tremer.
            - Aqueces-me?
            Ouviu-se barulho e depois um cobertor aterrou em cima dos dois. E as luzes apagaram-se.
            Blay suspirou e para já parecia conformado, Qhuinn fechou os olhos… e atreveu-se a entrelaçar os dedos na mão do melhor amigo.

Já viram o que estava oculto?
Oh Qhuinn, há coisas tão inesperadas nesta vida…

7 comentários:

Devo dizer que isso não parece propriamente um castigo xD...Bigada Alex :3, gostei imenso, a MorCeGo realmente é mesmo mazinha, a esconder coisas boas dessas

Lindo...mas tão lindo que dá vontade de chorar, suspirar e babar!!!(Tens um lenço Alex linda?)
Quanto a ti MorCeGa , quem poderia imaginar o que nos estavas a esconder? Fazes papel de boazinha mas depois...é o que se tem visto. Imagino o que escondes mais...Alex podes ir á procura!!!!
Qhuinn a perder a virgindade e tu MorCeGa Má,quiseste-o todinho só para ti! Estás no top 10 da "minha lista negra" e vou passar a chamar-te "Cruella"...Egoista! mas eu gosto de ti na mesma.Hhehehehe.
Beijos babados com muito blheg

Olha, eu amo blay e quinn, e quero muito mais, mas please, coloco um spoiller aonde aparece a marissa e o butch (amo a marissa) ou a beth, mary, a shellas sinto falta delas, e disseram qual as shells aparecem mais nesse livro, obg

Sim, mereço castigo.
Sim, não tenho desculpa.
Sim, sou má.
(Caramba, já nem me lembrava que tinha deixado isto de fora! he he he Na altura tinha medo de traduzir xD)
Mas se me mandarem a tribunal, nego TUDO!
Menina Alex, nós havemos de conversar... *ameaçadora*

OK! não sei por onde começar nem se é aqui que deveria deixar este comentário,mas...
Já agora, deixo uma dica para vocês, para criarem um espaço de opinião ou outros assuntos acerca desta saga aqui no blog. Sei que também há o Facebook,mas aqui é mais privado... :)
Já li todos os livros desta saga e os últimos três,que ainda não saíram cá e que graças a vocês consegui obter, também já os li.
E o que dizer deles? Bem...
Confesso que no início quando comecei a ler o primeiro livro da Irmandade estava muito céptica porque o mundo dos "vampiros" não me fascinava muito,os primeiros que li foram da saga Crepúsculo e eu pensava que era tudo igual, então não estava muito animada e nas livrarias quando via essa secção passava à frente... :S
Foi no blog dessa saga que ouvi falar da Irmandade (por causa de um atrito em relação Às Cinquenta Sombras de Grey)e que estes livros eram muito melhores, assim como a Saga Predadores da Noite de Sherrilyn Kennyon.
Pesquisei e encontrei este blog, bem como a Saga e simplesmente viciei!
Voltando ao início, li os três últimos livros e agora que acabaram nem sei o que ler! É tão estranho, parece que um amigo saiu para fora e que só volta com novidades daqui a um ano!É um vazio que poucos livros conseguiram tirar de mim (excepto uns excelentes livros de Anne Bishop, a Trilogia das Jóias Negras). Li tão rápido todos os livros que parece que baralhei as histórias. Todos são bons, mas o primeiro,de Wrath, fez-me ler os restantes e estará sempre no coração, assim como o de Zadist, Vishous, Jonh(que adorei e que tantas vezes me deixou angustiada) e por incrível que pareça, uma deliciosa surpresa, do Rehvenge! Adorei! Todos têm algo de especial.
Agora, dos três últimos, o que dizer deles sem colocar spoilers?
Bem, o que tenho a dizer é que são excelentes! Apesar de achar que o próximo a sair cá, o de Payne, ser um pouco precipitado, já que só ouvimos falar dela no livro anterior e depois no seguinte já tem uma história para ela, também muito bonita. Mais me parece é uma continuação da história de V...
O de Thor é qualquer coisa de lindo e triste.Li quase 400 páginas de seguida e ainda faltavam mais umas quantas e não apetecia parar.Também tem muito de Jonh e também do adorável anjo mauzão Lassiter.
Depois o livro que eu realmente ansiava chegou! Qhuinn e Blay! O que dizer da história deles? Aparecem algumas vezes nos livros anteriores, mas neste último...acho que está bem conseguido o livro,muito bom mesmo. Só com um pequeno senão, isto na minha opinião, as histórias paralelas são mais que muitas e se não estivermos concentrados a ler perdemos um pouco o fio à meada. E as histórias que ficaram 'penduradas'?Ui... Imensas personagens novas, histórias lindas que se avizinham, para um ou mais livros,mas se a autora continuar com a mesma lógica que está a seguir, isto é, de continuar com as histórias paralelas, está-me a parecer que o próximo livro, de título "The King", vai ser brutal e GIGANTE!Há tanta coisa para acontecer que muito provavelmente até a J.R.Ward deve estar baralhada e terá que ver onde deixou ficar a história. Ou então divide em dois!E já agora, para mim o final do livro do Qhuinn e de Blay foi um pouco forçado, daí eu achar que no próximo livro deverá haver um "relembrar" da parte que ficou por dizer neste último livro. Não aparece é muito Jonh, como eles são tão amigos não percebi o porquê de não aparecer mais, nem nos momentos mais simbólicos. Mas talvez seja porque ele nos anteriores aparece muito...
Resumindo, estou super ansiosa pelo próximo livro e agora posso-me colocar no lugar de alguns leitores 'fanáticos' que ficam à espera dum livro como se fosse a coisa mais preciosa que encontraram! Apesar de eu não ser fanática,mas uma admiradora confessa desta saga.
Desculpem-me o testamento,mas como não tenho mais nenhum livro da Irmandade para ler (sem ser repetido), sinto um vazio enorme e apesar de ter uma estante cheia de livros para ler, nem sei qual pegar, pois já todos me parecem menos interessantes.:/ (*suspiro GRANDE!)
*.*

Saudações A.
Devo dizer que criamos o espacinho criticas aos Livros onde a Katley, fez a opinião dela sobre as obras, e onde vocês por comentários podem deixar as vossas, o certo é que nunca ninguém quis participar, ao ponto de parecer "esquecido".

Mas estamos sempre abertos a novas sugestões, envia-nos um email com as suas ideias e iremos ponderar as mesmas. Obrigada querida

*nasan

irmandadeadaganegra@gmail.com

As cinquenta sombras de gray? ai que banhada, juro detestei, odiei e praguejei tanto que até os irmãos ficariam corados -_- respeito quem goste atenção, graças a virgem que nao temos TODOS os mesmos gostos LOL, Anne Bishop?! Muida sou tua fã ^.^ adorei, amei, viciei na joias negras ^.^

não te preocupes com o testamento LOL podes fazer desses sempre que quiseres ;) estamos aqui para te fazer companhia querida ;)

beijokas

*nasan