sábado, 21 de setembro de 2013

Resenha Amante Sombrio (Brasil)




Resenha - Amante Sombrio


Caldwell, Nova Iorque…
A população humana vive sua vida pacificamente, alheia à guerra que é travada entre a nação vampírica e a sociedade redutora. Uma guerra que já dura milhares de anos. Esse é o cenário onde se desenrola a história da Irmandade da Adaga Negra. Um grupo composto de seis vampiros guerreiros, empenhados em proteger a humanidade e sua raça contra os redutores, criaturas sem alma com o único propósito de aniquilar os vampiros.
Wrath, o último vampiro de sangue puro e líder da Irmandade, tem em suas mãos a tarefa de atender ao ultimo desejo de seu irmão: ajudar sua filha mestiça a passar pela transição e se tornar vampira. Desconhecendo suas origens e seu destino, Elisabeth Randall se vê envolvida num mundo de sensualidade e perigos, e precisa confiar sua vida a esse poderoso guerreiro, enquanto este se apodera de seu coração.

Amante Sombrio é o primeiro livro de romance paranormal da série Irmandade da Adaga Negra, de J.R. Ward, que chegou ao Brasil em 2009 pela editora Universo dos Livros. A autora nos apresenta um universo completamente diferente de todos os romances vampirescos da época. Vampiros pra lá de sensuais, cenas de sexo calientes, boas doses de ação e uma pitada de humor são a receita desse sucesso literário que já arrebatou milhares de fãs em todo o mundo.

Quando li o livro pela primeira vez, fiquei cativada por sua sinopse. É o clássico conto de vampiros do século XXI, mas sem senhum pudor. J.R. Ward não poupa em nada, das cenas gráficas de sexo ao linguajar pesado, repleto de palavrões e muita ação, a autora faz com que o leitor se identifique com as personagens. Acho que foi isso que me ganhou de primeira. Ao apresentar os membros da irmandade como guerreiros poderosos e ao mesmo tempo com problemas pessoais e fraquezas, Ward criou um universo paralelo à realidade, onde muitas vezes nos sentimos parte da trama. É impossível não se render à história desses irmãos, e querer saber sobre cada um deles, afinal, são apresentados rapidamente, cada um com uma personalidade diferente e ao mesmo tempo intrigante, que aguçou minha curiosidade em saber mais.
Como as cenas de sexo são explícitas, não é o tipo de livro que levo comigo pra qualquer lugar… Pois é garantia certa de passar constrangimento causados pela arritmia cardíaca, suores frios, bochechas rosadas e respiração irregular.
Entretando a relação entre os vampiros machos e suas fêmeas foi algo que me cativou. Toda essa questão de proteção, possessividade e odor de vinculação é algo que mexe com a libido de qualquer mulher. É o tipo de livro que povoa as fantasias femininas de encontrar um macho ideal e que eleva a escalas estratosféricas os hormônios de qualquer leitora com sangue quente.

Enfim…
O livro é apenas a ponta do iceberg.
Cada livro conta a história de um guerreiro e o densenrolar da guerra.
A leitura fluiu tranquila e eu li em tempo recode. Depois corri pra livraria pra comprar todos os outros volumes lançados… e me perder… ou me achar, no mundo da Irmandade da Adaga Negra.

Lu Cavalcante

1 comentários:

Olá Lu!
Gostei do que li e acho que te vais dar bem no meio do pessoal. É tudo doido varrido, exceto eu, claro!
Beijos bons e muitas felicidades!