quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Lover Reborn – TOHR / AUTUMN




Gloriosa quinta-feira. Sim, Margarida, vai ser gloriosa… xD

Ai, que dia tão bom para os morceguinhos queridos (eu)!

Ontem enfiei-me no binhotim (binho tinto), do qual estou fã. De todas as propriedades do binhotim, a que mais aprecio é a do atordoamento. Cambaleamos de lábios roxos e hálito aziumado, fazemos cenas tristes e não nos ralamos nada! Não me dá para isto muitas vezes, mas dadas as circunstâncias existenciais em que lamentavelmente me encontro, o binhotim é a solução. Porque é a solução? Por causa do álcool. O álcool é uma solução. Perguntem aos químicos! (olá Viviana!)

Ai, mas o que é que te aconteceu? – Imagino eu que perguntam. Efeitos do atordoamento, porque na realidade está tudo a marimbar-se para o que eu digo.

Descobri que há fuga de informação. Sim, ouviram bem, tenho a gruta vigiada e os meus planos lindos estão à mercê dos olhos curiosos de qualquer um! Pior ainda, é que vão para o cusquedo, sacam o que querem e lhes apetece e depois deixam comentários no blogue a dizer o que fizeram e mandam beijos por vias enviesadas (olá Bea! Beijos.)... É o fim do mundo em cuecas! Não há respeito nenhum por quem anda contente a engendrar planos!

O meu Qhuinn abandonou-me e eu padeço horrores, ando arrastadinha das asas a chiar pelos cantos… Padeço, padeço… padeço padva e estúpeda… He he he…

Se isto não bastasse, falaram-me de partículas coloridas que estão mortas e não têm alma. Tudo obra do demónio, claro! Como eu sei – porque eu sou um morceguito informado – que quem exorciza os demónios são os padres e que eles se deitam ao binhotim nas cerimónias… fiz igual. Binhotim no sistema e pronto! Era só ver o demónio a sair-me do corpo… Era ele e o padecimento…

Dormi um espetáculo! He he he

Acham que me apareceu o pau de virar tripas da suga-euros? Se apareceu, estava bem disfarçada… e tinha mudado de sexo… e era grande… e tinha umas mãos maravilhosas… Ahhh

Beijos bons.


SPOILERS PARA ALGUNS

Lover Reborn (repararam que não está No'One no título?)




Levantou-se e segurou-lhe nas ancas erguendo-as.
A ereção incrivelmente grossa e comprida, mas ela sabia que caberia na perfeição.
E fê-lo novamente.
Desta vez, ela prestou mais atenção a ele do que às sensações. Por cima dela, mexia-se naquela sua maneira potente e vigorosa, levando o prazer aos dois ao curvar o corpo para a frente e para trás, entrando e saindo dela.
O sorriso era sombrio. Erótico.
- Gostas de olhar para mim?
- Gosto. Ó, sim…
E foi o que conseguiu dizer antes de uma outra vaga de prazer rebentar e assumir o controlo dos pensamentos, da fala, do corpo… da alma, varrendo tudo.
Quando finalmente se acalmou e conseguiu concentrar-se, reconheceu a tensão no rosto de Tohrment, a tensão em torno do maxilar e dos olhos, o movimento acelerado do peito. Ele não tinha ejaculado.
- Queres assistir? – Perguntou entredentes.
- Ó, sim…
Retirando-se do corpo dela, a ereção estava como os lábios estiveram, brilhante e inchada.
Usou uma mão enorme para se segurar e com a outra segurou o seu peso no chão para poder permanecer por cima do corpo dela. Girando os ombros, providenciou-lhe uma boa vista enquanto se acariciava para cima e para baixo, a cabeça firme a aparecer e a desaparecer de entre as mãos.
A respiração tornou-se mais pesada e acelerada enquanto ele lhe mostrava o que acontecia com ele.
Quando o momento chegou, o grito ecoou-lhe nos ouvidos e a cabeça dele projetou-se para trás, o queixo esticado, as presas visíveis e silvou. Depois, em impulsos ritmados, saíram jatos de dentro dele que acertaram no sexo e no baixo-ventre, fizeram-na arquear como se a satisfação tivesse sido dela.
Quando terminou, ela estendeu-lhe os braços.
- Anda cá.
Obedeceu sem hesitar, encostando o peito ao dela antes de se colocar de lado e lhe servir de amparo.
- Não tens frio? – Murmurou. – Tens o cabelo molhado.
Não faz mal. – Enrosca-se no corpo dele. – Estou… perfeita.
Um som de aprovação subiu-lhe da garganta.
- É o que tu és… Rosalhynda.
Ao ouvir o seu antigo nome, ela estremeceu, mas ele segurou-a com força.
- Não posso continuar a chamar-te de No’One. Não depois… disto.
- Não gosto desse nome.
- Então outro.
A fitar o rosto dele, ela teve a certeza que ele não iria mudar de opinião. E ele não lhe iria chamar o nome que ela há muito, muito tempo escolheu… quando aquele nome era o que ela sentia ser.
Talvez ele tivesse razão. Ele, de repente, sentiu-se que era mais do que ninguém [no one].
- Precisas de um nome.
- Não posso escolher, - Replicou, consciente da dor que tinha no peito.
Ele fitou o teto. Enrolou o cabelo dela num dedo. Fez um estalido com a língua.
- O Outono é a minha estação do ano preferida, - Disse após o silêncio. – Não é que eu seja um mariquinhas… mas gosto das folhas quando ficam vermelhas e laranja. São lindas ao luar, mas mais do que isso, são uma transformação incrível. O verde da primavera e do verão é uma sombra da verdadeira identidade das árvores, e toda aquela cor que aparece com o arrefecer das noites é um milagre de cada vez que acontece. É como se estivessem a compensar a perda de calor com aquele fogo. Eu gosto… do outono. – Olhou-lhe nos olhos. – Tu és assim. És linda e o teu fogo brilha, e é altura de te mostrares. Por isso eu escolho… Autumn. [outono]
No silêncio, ela apercebeu-se das lágrimas que tinha no canto dos olhos.
- Que foi? – Preocupou-se ele. – Merda. Não gostas? Eu escolho outro. Lihllith? E que tal Suhannah? O quê? Joe? Fred? Howard?
Ela colocou-lhe a mão no rosto.
- Eu adorei. É perfeito. A partir de hoje em diante serei conhecida pelo nome que me deste e da estação do ano em que as folhas se incendeiam: Autumn.
Erguendo-se, colou a boca à dele.
- Obrigada. Obrigada…
Ao vê-lo assentir solenemente, ela abraçou-se a ele com força. Ser nomeada era ser reivindicada, e isso fê-la sentir… renascida [reborn]


Escuso de vos tentar enganar. Amanhã já não há disto.

Aliás, disto, não há para ninguém… e eu padeço…

Mas pode ser que apareça qualquer coisa com o Lassiter…

Vou pensar nisto do Lassiter com carinho.  ;)




2 comentários:

Por falar em álcool... Hoje tivemos uma palestra (sobre a qual vou ter que fazer um resumo, mas isso não conta para o caso) em que eles estavam a falar de compostos no vinho, achei piada a teres falido nisso hj. XD
E coitadinhas das partículas! Elas não têm culpa! E tb tenho umas que ficam laranjas laranjas! ;P
Tchi, morceguita, andaste a copiar o capítulo da piscina todo ou quase todo! (e já não sei escrever, é deprimente! T.T)
Bjs e Bom Loki ;P