quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Lover Reborn – TOHR / NO’ONE




Que a quarta-feira seja fantástica. Fantástica, ouviste, Margarida? :D (aviso de sexo)


Hoje é dia de luta contra o cancro da mama, amanhã é o dia das bruxas e depois de amanhã dia de todos os santos… Que semana movimentada! Feriados é que népias!

Algumas palavrinhas:

Margarida Ladeira – Ando-me a meter contigo e tu nem me insultas? Começo a preocupar-me … Tu estás bem? Se não estiveres, fica a saber que me lembro de ti e que te quero toda boa! :D

Viviana – Claro que vais ler os livros tuga, ou eu agarro em ti, amarro-te, enfio-te na gruta, ponho-te palitos nos olhos e espeto-te o livro à frente. Ai, ai, ai a conversa… :p

Bea – Os meus planos não são para ser divulgados publicamente… e quer-me parecer que, neste momento, te devias dedicar a assuntos mais importantes que as minhas loucuras. Não é que eu não aprecie o teu interesse. Antes pelo contrário, mim gostar e tu saber. ;)

A quem queria Escolhidas /shellans – Eu sei o que é querer saber coisas, mas, como já devem saber, em cada livro destacam-se dois casais no máximo, o resto é relegado para o plano do oculto. As referências, caso apareçam, são tão diminutas que não faz sentido serem aqui apresentadas. Ainda mais que eu não sou tradutora, nem faço traduções integrais de livros, dou um cheirinho dalgumas partes para abrir o apetite para a leitura. Mas estou atenta a pequenos pormenores interessantes, como a Beth ter sugerido a integração do Qhuinn na Irmandade.

Em Geral – As minhas traduções são livres, a ideia/conteúdo está lá, mas tomo certas liberdades e faço opções que não são permitidas aos profissionais. Continuo aberta a sugestões. Eu muito me abro... qualquer dia, ganho a vida a abrir-me de outra maneira... Dizem que se ganha fama e dinheiro!... Vou ser famosa! :D

Beijos bons
Boas leituras


SPOILERS PARA ALGUNS

Lover Reborn


[Tohrment e No’One depois de voarem para dentro da piscina.]




Assim que a cabeça se afundou, ele encontrou os lábios dela e beijou-a debaixo de água, apoiou os pés no fundo e impulsionou-os para cima para poderem respirar.
Entretanto, o seu pénis encontrou-a novamente.
Ela estava ali, a rodear-lhe o corpo com as pernas outra vez, a fazer eco dos seus movimentos, retribuindo os beijos. E era bom. Estava… certo.
Algum tempo mais tarde, No’One viu-se nua, molhada e deitada no rebordo da piscina sobre uma cama de toalhas que Tohrment fez para ela.
Ele estava ajoelhado à sua beira, as roupas molhadas coladas aos músculos, o cabelo a reluzir, os olhos intensos a olhar-lhe para o corpo.
Bateu-lhe uma súbita insegurança, enregelando-a.
Levantando-se, tapou-se.
Tohrment segurou-lhe nas mãos e suavemente colocou-lhas de lado.
- Estás a estragar-me a paisagem.
- Tu gostas?...
- Ó, sim. Eu gosto. – Inclinou-se e beijou-a profundamente, fazendo escorregar a língua nela, voltando a deitá-la mais uma vez. – Mmmm, assim, sim.
Ao afastar-se um pouco, No’One sorriu para ele.
- Fazes-me sentir…
- Como? – Baixou a cabeça e passou os lábios no pescoço dela, no peito… na ponta dos seios. – Bonita?
- Sim.
- É como és. – Beijou-lhe o outro mamilo e colocou-o na boca. – Bonita. E acho que devias deitar essas vestes fora de uma vez por todas.
- E o que é que eu visto?
- Eu arranjo-te roupas. Todas as roupas que quiseres. Ou podes andar simplesmente nua.
- À frente dos outros?... – O silvo que lhe escapou foi provavelmente o melhor elogio que lhe deram. – Não?
- Não.
- Então, se calhar, no teu quarto.
- Isso, eu posso tolerar.
Os lábios dele deslizaram para baixo e para o lado até sentir uma presa sobre as suas costelas. De seguida atravessou-lhe a barriga com beijos macios e demorados. Só depois de ir mais longe, demorando-se nas suas ancas e passando muito próximo do seu sexo, que ela se apercebeu que ele tinha um objetivo.
- Afasta as pernas para mim. – Pediu num tom grave. – Deixa-me ver o teu lado mais belo. Deixa-me beijar-te onde quero estar.
Ela não tinha certeza quanto ao que ele estava a sugerir, mas não tinha força para lhe negar nada quando ele usava aquele tom de voz. Atordoada, ergueu um joelho, abrindo as coxas… e soube quando ele olhou para ela, porque rugiu de satisfação.
Tohrment deslocou-se para o meio das pernas dela e deitou-se, abrindo-a mais com as mãos. E logo de seguida os seus lábios estavam nela, quentes, sedosos e húmidos. A sensação de suavidade na suavidade conduziu-a a outro orgasmo, aproveitando-se disso, penetrou-a com a língua, sugando-a, encontrando-lhe o ritmo e levando-a mais além.
Os dedos dela entrelaçaram-lhe o cabelo à medida que movia as ancas.
E pensar que ela tinha gostado do sexo…
Mal sabia ela que havia muito mais para descobrir.
Ele era arrebatadoramente atencioso e extremamente cuidadoso nas suas explorações, sem se apressar a menos que a estivesse a levá-la ao êxtase. E quando ele levantou os lábios, a boca molhada e vermelha, passou a língua neles a fitá-la por baixo das pestanas.


E o que vai acontecer depois… digo-vos amanhã! :D

morCeGo mau…  *dança da vitória* …
morCeGo muito mau… *abana o rabinho*

He he he


2 comentários:

Olá morceguinho, podes não divulgar publicamente as tuas ideias, mas eu tenho forma de saber algumas coisas, também tenho as minhas fontes...
Quanto a preocupar-me com outras coisas, tens razão, ando atafulhada de trabalho, relatórios e testes. A parte boa do dia é quando passo por aqui a ver o que vocês escrevem

Gostei da dança e da tradução tb.
P.s. Já coloquei nos comentários da foto quem eu queria que conhecesses! Bjs ;P