quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

Lover at Last



Olá, gente bonita!

Uma das minhas grandes virtudes é a minha trolhice. Acreditem que, sem exagero, consigo ter uma extensão superior a 600 km2 só dessa qualidade requintada dentro do meu organismo diminuto. E não é para me gabar que acrescento que não conheço ninguém que me consiga bater na palermice.

Penso que todos nós temos um alguém, ou uns alguéns que nos põem bem-dispostos. No meu caso, eu chamo-lhes aceleradores de escrita. Geralmente, só escrevo idiotices, mas a coisa aguça-se na presença de alguns seres. Sim, sim, também estou a falar da Micas (olá, amor lindo!). Mas há mais.

Ontem foi um dia interessantíssimo, porque consegui cruzar-me com todos os meus aceleradores de partículas inspiradoras (faltou um, mas não vem para o caso). Quando me pendurei no galho ontem à noite, só pensava asneiras. Tinha vontade de agarrar numa folha e começar a pôr tópicos, pelo menos. Não o fiz. Acabei por adormecer, acordaram-me cedo e hoje estou totó.

Não achei bem não colocar qualquer coisita aqui, por isso trago mini spoilers com comentários.

Eu ontem reapaixonei-me pelo Qhuinn, enquanto procurava uma secção para vos trazer. Em vez de traduzir, babei, babei, ri-me, voltei a babar e… Caramba!... Fdp da personagem!... Eu gosto tanto deeeeela!... E é tão liiiiinda!... E fofa!.... E parva de tão casmurra!.... Eu conheço uma técnica infalível de descasmurrar, mas ninguém me deixa pô-la em prática.,.. Envolvia sessões de criatividade extrema em que eu praticava a dança da sensualidade… Qhuiiiinn!... Ahhhh….

Dedico esta tontice de hoje às comentadoras assíduas online Marta e Rute. Os meus devaneios e loucuras são dedicados à Viviana e à Bea. Veneração, culto, reverência e paixão fica para mi musa Micas.

Beijos bons.

MINI SPOILERS LOVER AT LAST COMENTADOS



“Ele estava ao lado de Qhuinn. Mesmo ao lado dele.
Os olhos de Qhuinn estavam concentrados a olhar para à frente, os lábios descobriam-lhe as presas, a expressão feroz era o resultado do absoluto esforço físico.
Parecia-se muito ao que se assemelhava quando se vinha.”

Credo!
Deuses dos morcegos, protejam-me!
Santa padroeira dos mamíferos, benza-me!
O que é que se pode dizer de um desgraçado que, a suar como um animal, a trabalhar como um condenado e a pensar em tudo menos em coisas pecaminosas, só faz lembrar asneiredo?

Coitadinho do meu Blay que sabe exatamente o que está a imaginar e como o deve fazer. Mim só imagina o que lhe estaria na imaginação...

Já estou a fazer a sensualidade dançante…



“Para parecer normal, Qhuinn foi ter com Tohr para fazer de conta que, tal com o Irmão, apenas estava a monitorizar o trabalho. Não. Tinha tudo a ver com Blay, claro.
Fora sempre por causa de Blay.
A tentar acrescentar algo à atitude despreocupada, cruzou os braços – mas teve que os descruzar outra vez por causa das dores no ombro.
- Aprendi a lição. – Disse só para meter conversa.
Tohr murmurou alguma coisa, mas diabo se o ouviu. E diabo se conseguia ver alguma coisa para além de Blay. Nem pestanejava. Nem respirava.”

E o que se pode dizer de um desgraçado que, mordidinho por dentro, roidinho pelo desespero de uma alma apaixonada, arranja força para fazer cenas tristes disfarçadeiras do tipo Ai, ai, ai não é nada comigo?

Nabice. Não é?
Foi o que eu pensei.


Mim dança a sensualidade… (basicamente é ficar com olhos mortiços, deixar escorrer baba por um cantinho da boca e abanar ligeiramente o rabito)

Agora vou autoflagelar-me com um chicotinho para deixar de pensar num anormal daqueles.

Ahhhh... bailado em pontas da sensualidade...


1 comentários:

gostei... gostei... o que é que o Qhuinn fez pra lhe doerem os ombros?