sábado, 26 de setembro de 2015

Blood Kiss (Beijo de Sangue)

Olá pessoal!


Saudades minhas? Bem me parecia que não... Ainda à bocadinho liguei a net, fui ao Facebook e o que é que encontrei? Pois é... Um pequeno excerto do primeiro livro do Legado da Adaga Negra (Black Dagger Legacy) que vai sair, nos EUA, em Dezembro deste ano.

Aqui está a pseudo-tradução do excerto do Blood Kiss Bejio de Sangue, ou Beijo Sangrento (ainda não me decidi que nome colocar em português, mas se quiserem deixar sugestões estão à vontade).

Sem mais demoras o miminho da Ward. (Peço desculpa se há erros, mas já estou um pouquito enferrujada nisto de "traduzir" xD)


-----V.P.-----
Enquanto o Butch se encontrada no grande hall de entrada da mansão franziu o cenho e olhou para o telemóvel. Ele tinha verificado as horas no seu relógio Audemars Piguet cerca de 3 minutos atrás e pensou que o seu Samsung o-que-quer-que-seja lhe pudesse dar uma respostas com a qual conseguisse sentir-se melhor.
Negativo.
E a sua sétima chamada para a sua companheira, Marissa, não foi atendida. Tal como as outras seis.
À distancia os sons da Última Refeição a ser consumida borbulhavam para fora da sala de jantar.
Por nenhuma razão aparente, ele pensou na primeira noite em que ele ouviu sons como aqueles. Tinha sido no que agora é a casa de audiências. Naquela altura ele era um detetive de homicídios fora do controlo e à procura de uma fonte de imolação total de modo a ele poder acabar com a vida.
E foi aí que apareceu o buraco do coelho.
A Beth foi a primeira a descer por ele, sendo sugada pela sua herança mestiça de meio humana e meio vampira. A entrada dele tinha sido uma coisa completamente diferente...
- Se vão sangrar o humano, podem ser amáveis o suficiente para o fazerem nas traseiras? - Fritz tinha pedido ao Irmãos.
- Conseguiste contactá-la?
O Butch fechou os olhos ao som da voz masculina familiar. Apesar de isso nem sequer ser parcialmente verdade, às vezes ele sente-se como se o murmúrio mordaz do Vishous tem estado na sua cabeça durante toda a sua vida.
- Não, - Butch respondeu - Ela não está a atender... algo está errado.
*Beijo de Sangue/Beijo Sangrento - pag. 25-26 do manuscrito

OK por agora não há mais, apesar de eu ter ficado mais cusca do que já estava... O que será que se está a passar? Porque é que a Marissa não atende? Será que o Butch está paranómico? (Não percam os próximos episódios, porque nós também não!!!) Agora a sério, vamos todos fazer figas para que a Ward do mal diga mais alguma coisinha...

Em baixo está a versão original que foi retirada da página dela do Facebook.

Até à próxima publicação,
Sunshine ;)

-----V.O.-----
As Butch stood in the mansion’s grand foyer, he frowned and looked at his phone. He’d checked the time on his Audemars Piguet watch about three minutes prior, and figured his Samsung whatever-the-f*ck-it was might give him an answer he could live with better.
Negative.
And his seventh call to his mate Marissa went unanswered. J
ust like the other six.
Off in the distance, the sounds of Last Meal being consumed bubbled out of the dining room.
For no good reason, he thought about the first night he’d listened to sounds like that. It had been over at what was now the audience house. He’d been a homicide detective back then, out of control and looking for a source of total immolation so that he could just be done with life.
And then came the rabbit hole.
Beth had gone down it first, her mixed heritage as half human, half vampire sucking her in. His entree had been something else entirely...
If you’re going to bloody the human, would you be good enough to do it in the backyard? Fritz had asked the Brothers.
“Have you reached her?”
Butch closed his eyes at the sound of that familiar male voice. Even though it was not even partially true, sometimes he felt like Vishous’s acerbic mutter had been in his head for his entire life.
“No,” Butch said. "She's not answering... something is wrong."
-Blood Kiss, pg. 25-26, MS

2 comentários:

Boa noite, quando penso que vou me livrar do vício, aparece essas gotinhas que só aumentam meu sofrimento. Tantas coisas aparecem em minha cabeça: morte, separação, gravidez, com a Marissa tudo é possível.

Tu Dragon Ballaste esta página! Não há decoro! Que horror!... Falta de vergonha! Gostei! :D Eu estou em pulgas para que o livro saia, mas verdade seja dita, não é por causa do Butcha... ai, não é, não... he he he