sexta-feira, 8 de abril de 2016

THE BEAST – Excertos 1 - SPOILERS




Boas! (sim, eu e vocês… somos nós…)

Não sei se têm reparado que na página do fiçubuk andam a sair mini-coisinhos… Porque os mini-coisões eu reservo para o blogue. Continuo a atender a traduções por pedido (desde que não abusem) e o excerto de hoje, se não fosse desejado, vinha para aqui na mesma!

Agradeço a todos os que nos visitam e vão comentando, beijos bons para os anónimos e anónimas, em especial para a Sunshine, MissyLi, Vânia, Viviana, Cris Paiva e Vera RR Rodrigues. E um beijão especialíssimo à Mia Muzo que anda por aí encoberta.

Os excertos foram traduzidos pela minha bicheza, não é profissional, mas mantém o tom e o conteúdo do original, embora peque na forma. Espero que vos abra o apetite para quando o livro aparecer em versão portuguesa.


Beijos bons!






EXCERTOS – SPOILERS




[Assail, pela segunda vez na casa de Naasha – a tal que tem um marido a fazer 900 anos]

- E este – Naasha apontou com a mão para o canto – é o meu amigo especial Throe.
Assail  sorriu ao macho e foi até lá. Ao esticar a mão, manteve a voz baixa.
- Mudança de companhia. Dos Bastardos para os pedigrees. Não me parece uma grande melhoria.
Os olhos de Throe estavam afiados como facas:
- Um regresso às origens.
- É mesmo possível regressar depois de uma deserção? Uma tão significante como a tua?
- A minha linhagem nunca mudou.
- Mas o teu caráter deixa um pouco a desejar, não deixa?
 Throe aproxima-se.
- E vem isso de um traficante de drogas?
- Homem de negócios. E o que é que se chama a machos como tu? Gigolôs? Ou talvez o termo “puta” seja suficiente.
- E porque é que achas que estás aqui? Com certeza não será pelo prazer da conversa.
- Ao contrário de ti, não preciso de cantar para ter uma refeição, posso comprá-la eu.
Naasha falou, a voz encheu o salão.
- Vamos jantar?
Assim que o mordomo abriu as portas duplas para mostrar uma mesa tão resplandecente como uma qualquer da realeza, humana ou outra, Naasha passou o braço no de Assail.
Num sussurro, disse:
- Teremos a sobremesa lá em baixo, No meu quarto de diversões.
Normalmente, ele não ficaria impressionado por tal frontalidade de sou-uma-atrevida vamos-lá e teria comentado à letra. Mas ele tinha outras prioridades.
Teria o Throe deixado de vez os Bastardos? Estaria a infiltrar-se na glymera através de uma abertura disponível – ou três – na mira de ir contra a coroa por ambição?
Assail tinha a certeza de que iria descobrir.
- Estou ansioso pelo que for servido, - murmurou batendo-lhe suavemente na mão.
Mesmo que os doces a consumir fossem, temporariamente, ele e os seus primos.
Apesar de tudo, orgasmos era uma moeda de troca tão boa como qualquer outra… E ele tinha quase a certeza que Naasha e as suas “queridas amizades” estavam lá para serem compradas dessa forma.

 (The Beast, Capítulo 28)

[O quarto de diversões da sobremesa era um espaço para poucas vergonhas. Os primos de Assail sobremesavam Naasha e ele foi para uma cadeira. Lá vem o Throe comentar o facto de o macho estar sentado.]

- Não me digas que é por causa de algum puritanismo que não vem agora a propósito.
Ao som das palavras secas, olhou para Throe. O macho estava completamente vestido, mas pela tensão na braguilha das calças, isso não ia durar muito.
Assail mostrou as presas num sorriso.
- Nunca desenvolvi gosto por comida de plástico.
- Não foi o que aconteceu ontem à noite. – Throe inclinou-se e sorriu, mostrando também os caninos. – Acredito que gostaste bem do tempo que passaste no salão.
- Diz-me, Xcor sabe que estás aqui?
Throe encostou-se à parede, o cálculo a semicerrar-lhe os olhos.
- Para um homem de negócios, pareces muito curioso pelo que não te diz respeito.
- É só uma pergunta. (…)
- Xcor e eu terminamos a nossa, digamos, associação.
Assail voltou a concentrar-se no macho.
- A separação é tãããão dura.
- Os interesses dele e os meus já não se conjugavam. Ele não desistirá da sua busca pelo trono.
- Deveras. – Assail analisou bem as feições do macho à procura de sinais de tensão.
- E estás aqui há quanto tempo?
- Não sei. Não quero saber. Tive uma extensa e brutal temporada na companhia de selvagens e desespero por civilização como um esfomeado.
- Mmmm, - disse Assail.
Levantando-se, encarou o outro macho e esticou a mão para tocar exatamente no laço do colarinho de Throe.
Os olhos do macho abriram-se surpreendidos, Assail empurrou-o de encontro à parede de pedra, a segurá-lo pelo pescoço.
De seguida encostou o peito ao dele e passou a língua pelo lábio inferior de Throe.
Assail riu ao sentir o estremecimento a trespassar a presa e observou-o enquanto um diálogo interno qualquer transparecia no belo rosto – um conflito de tal ordem que Throe não conseguiu dominar.
- Sabes a whisky, - murmurou Assail e apalpou-lhe a ereção massiva. – E estás com fome.
Throe começou a ofegar, muito parecido a Naasha nesse aspeto. Mas estava paralisado no lugar como se estivesse tão chocado com Assail… como da sua própria reação.
- Estás? - Rosnou Assail por cima dos lábios de Throe. – Estás com fome… para a sobremesa?
Um som estranho saiu do macho, meio a pedir, meio a negar.
Em ato contínuo, empurra os ombros de Assail, atirando-o de costas para uma das plataformas.
Throe limpa a boca com a manga e aponta um dedo a Assail.
- Eu não sou desses.
Assail deixou as pernas abrirem-se, expondo a ereção por trás das finas calças.
- Tens a certeza?
Throe praguejou, deu a volta e foi para a porta. Desapareceu logo, de certeza a bater os pés até ao quarto, fosse lá onde fosse.
Assail sentou-se e endireitou o casaco. Aquele ia ser bom para vergar.
E talvez, enquanto isso ocorresse, ele saberia exatamente o que é que Throe andava a fazer ali.
Ele sentia que Wrath e Vishous estavam certos em se preocuparem com a glymera. Throe estava a preparar alguma… e saber isso e seduzir o macho para fora da sua zona sexual de conforto era exatamente o tipo de distração que Assail procurava.
Isto ia ser bastante divertido.

 (The Beast, Capítulo 31)

He he he
E se gostaram destes bocadinhos, tenho a dizer que há mais momentos destes!

Assaaaaaaaail!...

2 comentários:

Oh meu deus!!! Estou quase a chegar a essa parte, nem acredito que o Assail fez isso. XD

Btw, tanto eu, como a minha outra pessoa agradecemos o agradecimento. :P

Esses excertos só me deixam mais ansiosa para ler o livro. Cada mini-coisinha que eu leio minha aflição cresce.