domingo, 2 de abril de 2017

Carta da Ward

Olá pessoal!!!

Como estão todos?

Peço desculpa por andar meio desaparecida e por não ter conseguido traduzir mais nada do Blood Vow (Voto de Sangue) mas não tenho tido vagar, e infelizmente, nem grande cabeça para isso... :(  Por isso, NightShade, se quiseres pegar nisso estás à vontade. :)

Bem, a Ward, por algum motivo e para a minha infelicidade deixou de colocar as cenas do quotidiano da mansão no "jornal mensal" dela... e aquela porra ficou interrompida... T.T

MAS, ela semana passada (desculpem só ter conseguido trazer-vos isto agora :/) fez uma pequena carta sobre o livro A Escolhida, que vai sair nos Estados Unidos da América, na próxima terça feira, dia 4 de Abril, e vamos ter encontro com fãs (também nos EUA) no sábado seguinte, dia 8 de Abril ondem vamos saber sobre quem é que vai ser o livro seguinte e o seu nome. (MAL POSSO ESPERAR!!!!! *esfrego as mãos!!!!*)

Ok, agora vamos ao conteúdo da carta. ;)

---V.P.---
Estou tão entusiasmada para que as pessoas metam a mão n'A Escolhida! Para mim, o livro levanta a questão do herói "irremediável". Xcor, o líder do Bando dos Bastardos, comandou a tentativa de assassinato do Wrath, o verdadeiro Rei dos vampiros. Ele conspirou com a glymera. Ele até atacou um dos seus soldados, esfaqueando o Throe num beco para que o macho fosse levado pelos Irmãos. Ele foi um salteador e um agressor tanto no País Antigo e em Caldwell, no Novo Mundo, um lutador que se agregou ao Bloodletter e assumiu o seu manto, uma força mercúria e terrivelmente assustadora no mundo.

Não é exatamente um herói romântico. A não ser que sejas a Harley Quinn*.

Para o Xcor encontrar alguma redempção com os leitores, na minha opinião, duas coisas tinham que acontecer: um, eu tinha que mostrar o "porquê" do seu caminho pela escuridão, e dois, era importante que as suas ações daqui para a frente fossem tanto morais como consistentes. Depois de ter atingido o seu ponto mais baixo- porque, convenhamos, se és um inimigo da Irmandade da Adaga Negra, e eles mantêm-te no raio de uma cave para que eles te possam matar, estás provavelmente no fundo do poço- e o problema passa a ser o que é que o Xcor faz com as realizações que lhe aparecem por ele estar às portas da morte.

Assumindo que ele sobrevive o que lhe vai ser feito.

No final, eu deixei que o Xcor assumisse o comando. O que, considerando que tudo o que posso fazer com a minha escrita é ouvir o meu Rice Krispies#, de qualquer maneira, é a minha PON (Posição Operacional Normal, ou, também, Posição Operacional Estúpida. Provavelmente a última é a mais apropriada.$) Há esta máxima em contar histórias em que tu precisas de "mostrar" não "dizer", e isso é verdade, isso é verdade todos os dias- mas também é assustador para os autores. Porque, e se uma pessoa num dos teus livros se recusa e evoluir? Isso não é uma coisa má se se tratar do antagonista, mas se for um potencial herói, tens um grande problema.

Olhem, eu apaixonei-me pelo gajo no fim, está bem?

Vocês têm que formar a vossa própria opinião sobre o Xcor como pessoa, claro, e se eu fiz bem o meu trabalho, acredito que vão partilhar o meu ponto de vista. Vou dizer, como aviso, que dois dos meus amigos saíram com o livro nas suas mãos ontem- e eles choraram nos aeroportos e nos aviões todo o caminho até às suas respectivas casas. Por isso, é um livro puxado no início... eu certamente me senti assim enquanto estava a escrever. E eu digo-vos, eu também chorei no final, mas por uma razão diferente.

Quero agradecer-vos pelo vosso apoio, e eu desejo-vos várias longas noites felizes a ler não apenas os meus livros, mas todos os outros que estão por aí! Estão tão grata que eu posso fazer isto para ganhar a vida... e, por favor, dê uma chance ao Xcor? Eu sei que dei, e ele não me deixou mal...

J. R. Ward

*Referência de uma personagem da DC Comics, que gosta do Joker. Apareceu no filme Esquadrão Suicida que saiu ano passado nos cinemas.

# Marca de cereais nos EUA, que eu acho que ela está a usar como referência ao cérebro dela... O.o

$ Como todos sabem há coisas que se perdem com a tradução, de qualquer maneira podem conferir como estava a versão original depois destas notas ;)

---V.O.---

I’m so excited for people to get a gander at THE CHOSEN!  For me, the book raises the question of the “irredeemable” hero.  Xcor, leader of the Band of Bastards, spearheaded an assassination attempt against Wrath, the true King of the vampires.  He conspired with the glymera.  He even attacked one of his own soldiers, stabbing Throe in an alley so that the male would be taken in by the Brothers.  He has been a marauder and an aggressor both in the Old Country and in Caldwell, in the New World, a fighter who fell in with the Bloodletter and assumed that mantle, a mercurial, truly frightening force in the world.

Not exactly a romantic hero.  Unless you’re Harley Quinn.

For Xcor to find any redemption with readers, in my opinion, two things had to happen:  one, I needed to show the “why” of his journey to darkness; and two, it was important that his actions going forward be both moral and consistent.  Having reach his low point- because, let’s face it, if you’re an enemy of the Black Dagger Brotherhood, and they’re keeping you in a frickin’ cave so they can kill you, you’re probably at rock bottom- the issue becomes what does Xcor do with the realizations that come with him being on death’s door.

Assuming he lives through what they do to him. 

In the end, I let Xcor do the talking.  Which, considering all I can do with my writing is listen to my Rice Krispies anyway, is my SOP.  (Standard Operating Position, or, also, Stupid Operator Position.  Probably the latter is more appropriate.)  There’s this maxim in storytelling that you need to “show” not “tell”, and it’s true, that wins the day every time- but it’s also scary as an author.  Because what if a person in one of your books refuses to evolve?  That’s not a bad thing if you’re talking about an antagonist, but if it’s a potential hero, you’ve got a big problem. 

Look, I fell in love with the guy by the end, okay? 

You’ll have to form your own opinion about Xcor as a person, of course, and if I did my job correctly, I believe you will share my view.  I will say, in warning, that two of my friends left with his novel in their hands yesterday- and they cried in airports and on planes all the way to their respective homes.  So it’s a rough book to get through in the beginning- I certainly felt that way while I was writing it.  And I will tell you, I also cried at the end, just for a different reason.

I want to thank you for your support, and wish you many happy late nights of reading not just my books, but all the others that are out there!  I am so very grateful that I get to do this for a living- and please, give Xcor a chance?  I know I did, and he did not let me down...

J. R. Ward

----
Ora bem... Preparem os lenços, porque parece que vamos precisar e que deve ir aí um final feliz, espero... :/

Já agora... O que acham que pode acontecer? Alguém desgosta do Xcor e/ou do par Xcor/Layla? Alguém já deu uma chance ao líder dos Bastardos ou está a pensar nisso?

Para ser sincera... não me lembro de alguma vez ter desgostado do Xcor... Acho que a única personagem que me consegue irritar é o Harvers, nem o Lash eu odeio... só não concordo com o que fazem. xD

Tirando isso... Estão tão ansiosos como eu? Ainda não li a versão portuguesa d'A Besta, mas espero conseguir ter as mãos no The Chosen o quanto antes. :3

Digam-me o que acham sobre isto tudo, se não aqui no face. Fico à espera da vossa opinião! :D

Por agora é tudo, fiquem bem,
Sunshine ;)

2 comentários:

Olá minha linda :)

Já ando debruçada sobre o assunto. Também o trabalho tem sido muito. Mas estou convencida que no final de Abril conseguirei enviar alguns momentos altos da Irmandade.

Então vão haver mais novidades no dia 8. Boa!

Já começaste a ler o livro. Explosivo! Não digo mais nada ;)

Fica bem.

NÃO FALEM EM TRABALHO QUE ATÉ ME VOMITO!
Bom trabalho, minha PT!
Vou ver se escrevo uma coisa sobre o livro (que acabei ontem).
Beijos e saudades!