domingo, 27 de outubro de 2013

Vampiros


Porque a gente gosta de vampiros!


E vamos pro que interessa: características dos vampiros com as quais quem escreve não deveria mexer!
Vampiros de fantasia urbana evoluíram muito no decorrer dos anos, enquanto as antigas histórias de horror e mitos nas quais eram baseados lentamente mudaram para ser o gênero que hoje conhecemos e amamos. Mas durante esse caminho, muito mudou – e isto não é necessariamente algo ruim, no final das contas mudá-los de monstros vilões do mal para protagonistas em potencial é um salto importante por si só.
Ainda assim, existem algumas mudanças em comparação com as raízes com as quais não estamos contentes, que sempre nos fazem ficar de cara fechada sempre que elas aparecem. Há algumas partes da lenda dos vampiros com as quais não se deve mexer: então no embate desta semana, que mudança na lenda sobrenatural mais te incomoda?
Vampiros à luz do dia
Eu não me importo com como você faz isso – talvez eles tenham que dormir durante o dia, talvez eles queimem durante o dia, talvez eles fiquem enfraquecidos  pela luz do dia, talvez os olhos deles sejam sensíveis a luzes brilhantes – qualquer que seja a razão, vampiros não deveriam tomar banho de sol. Vampiros e luz do sol não devem se misturar, esta é uma das minhas regras invioláveis. Em algum ponto, um vampiro deve fixar olhar pra cima na direção da estrela do dia com medo. Chega desses vampiros dançando aí ao meio dia!
[N/T: fãs de Twilight com um ataque em 5... 4... 3...] E, acima de tudo, eles não devem brilhar. Não, eles não devem.
Vampiros se alimentando de comida
Eu não consigo nem dizer por que isto me incomoda tanto, mas incomoda. Eu consigo lidar com um vampiro tomando alguma bebida (até certo ponto) mas a ideia de um vampiro comprando um Big Mac e batatas fritas simplesmente meio que desmancha a mística toda. E sem mesmo falar do assunto todo de que o que entra deve sair em algum momento – qual é, você consegue manter o mistério sobrenatural imaginando um vampiro comprando papel higiênico?
Comer é simplesmente muito humano, muito mundano, muito mortal para meus senhores da noite mortos-vivos fazerem.
Vampiro que se detesta
O vampiro que se abomina se tornou extremamente lugar-comum em fantasia urbana.  De Louis de Pointe du Lac, até Edward Cullen, até Bill Compton, eles estão em absolutamente todo o lugar. Eles gastam tempo num estado depressivo constante enquanto avaliam tudo o que é humano. A pior parte é que esses vampiros são um tédio e me fazem querer mandá-los para algum tipo de terapia de grupo.
Vampiros e meninas adolescentes
Livros com tema sobrenatural para jovens tornaram bastante lugar-comum ter vampiros antigos namorando garotas adolescentes. Na maioria dos cados, essas jovens mulheres não tem absolutamente nada de interessante e ainda assim elas são continuamente consideradas como criaturas únicas sem as quais esses vampiros não vivem. O que os dois possuem em comum? É sempre ressaltado que a única diferença digna de se discutir é o fato de os dois serem de espécies diferentes. O que eu quero saber é porque ninguém está falando de algo que é bem óbvio. Sobre o que um vampiro centenário poderia conversar com uma menina adolescente além da hora do dia ou do clima? Se qualquer coisa, estes relacionamentos parecem mais com pedofilia do que com romance.
Vampiros beberem sangue
Esta é a característica que define um vampiro. Se um vampiro não bebe sangue, então não é um vampiro. É só um cara que viveu muito tempo que precisa de um pouco de protetor solar. Admitidamente, este é muito raro, mas eu consigo ver acontecer – eu quero meus vampiros com presas e mordendo uma garganta, obrigada. Sim, e eu quero que eles tenham presas. Sim, eu sei, outras lendas tem vampiros com línguas pontudas ou até mesmo unhas compridas nos dedões – mas meus vamps precisam de presas!
E quanto a vocês, leitores? Com qual lenda vampira você acha que não deveríamos mexer? Que mudança foi um salto pra longe demais? Qual é sua norma para vampiros com a qual os autores não deveriam mexer?
 (A Voz de Caldwell)

3 comentários:

Para mim, não se devia mexer no facto de serem extremamente sensuais! (mas aquela do parece pedofilia é verdade! He he he - E ninguém me convence que as totós com quem se apaixonam servem para alguma coisa mais do que... enfim... coiso.)

No meu ponto de vista, vampiro que se preza deve ser lindo, temível e sensual. Claro está que como vampiro deve beber sangue e de preferência do pescocinho! LOL

Óptimo tema Lu!
Se há coisa que eu sempre amei e admirei na Ward, foi o facto de ela ter mantido tudo o que eu achava essencial num vampiro... Sensual, forte, grande, ARDE AO SOL!, bebe sangue... e ao mesmo tempo, te-los tornado ainda melhores!
Eu nunca fui muito com a ideia de chamar os vampiros imortais, quando no fim se descobria sempre forma de matar.
Ela criou uma raça que nasce, vive e morre e eu amo isso!