segunda-feira, 6 de abril de 2015

THE SHADOWS - EXCERTO - SPOILERS


Boas noites!

Cá está a maluca com as suas traduções malecas. 

E nunca é de mais recordar que o mamífero alado é responsável pela publicação destas coisas e que sou acérrima defensora da compra de livros e da remuneração dos senhores tradutores que tiveram formação para o efeito. Por vezes, faço alterações de forma, mas nunca de conteúdo. São traduções amadoras e infelizes, mas são tudo o que por aqui se arranja.

Com nem a chefe Nasan, nem a chefe Katley, reclamaram, vou preparar a mala para ir para a terra dos amaricanos em dezembro... he he he... à pala delas!... Vai-me saber a pato.

Hoje trago o culpado da invasão da minha caixinha do fiçabuco: Throe! Ai, tantas queixas que eu ouço!... E eu a rir, porque o senhor vampiro bastardo nunca esteve tão interessante como agora! :D

E nesta cena que trago hoje vemos que há muita esperteza por trás. E não há como alguém que demonstra ter neurónios. Mim acha a inteligência sexy! Nem que seja para fazer asneiras...

Amanhã há mais. 

Não se esqueçam de deixar uma palavrinha nos comentários e aceito pedidos!

Beijos bons.






CUIDADO!




MUITA ATENÇÃO!




PARAR DE LER



PARA NÃO TER DE ENFRENTAR




A SPOILARADA QUE SE SEGUE




SPOILERS








SPOILERS





SPOILERS










- Estou muito agradada por me teres contactado. E lamento ter-te feito esperar.
Throe sorriu à fêmea que lhe falava e indicou-lhe o confortável sofá em que esteve sentado desde que chegara à propriedade.
- Não foi uma tarefa árdua. Estive quente e seco. E já foste tão atenciosa como uma anfitriã pode ser.
A fêmea aristocrática sorriu, a mostrar dentes tão brancos como os diamantes que tinha ao pescoço. Nos pulsos. Nos dedos e nas orelhas. De pé na modesta residência do caseiro, parecia uma modelo a quem fizeram uma má sessão fotográfica.
- O meu marido não está bem, - disse ela gravemente. – Tive de lhe dar assistência.
Vestida como estava num vestido colado de padrão leopardo, era caso para pensar de que tipo de assistência estava a falar.
Dificilmente seria o tipo de roupa que uma shellan usaria para aconchegar a roupa de cama do velho senhor.
Parecia mais, pensou Throe, que ela se tinha vestido para vir falar com ele.
- Sim. Lembro-me que estava combalido, - disse suavemente. – Lamento imenso.
- Estou tão desgostosa.
- Como podia ser de outra forma?
- Serei viúva em breve.
Ao acenar solenemente com a cabeça por comiseração, deixou deliberadamente os olhos percorrê-la do cabelo preto liso até aos pequenos pés.
A última vez que a viu, foi ali, mas havia menos roupa envolvida, tanto para eles os dois como para os seus camaradas Bastardos. Ela estava deitada à frente da lareira e ele e os soldados revolteavam à volta da sua carne nua, a alimentar-se e a foder. Foi à coisa de um mês a última sessão que já duram há quase um mês a intervalos irregulares.
- Só estás tu esta noite? – Perguntou roucamente.
- Sim, e tenho a dizer que, infelizmente, já não estou com Xcor. Deixei as lutas.
- A sério? - Ronronou. – E onde estás a morar?
- Presentemente estou entre moradas.
- A sério?
- De facto.
Ela aproximou-se, atravessou a divisão vazia até ele.
- Está quase a amanhecer.
Ele voltou a percorrer-lhe o corpo.
- Realmente. Bem, tenho de ir embora, então.
- Tão cedo, - amuou.
- Por segurança.
Distraidamente, passeou com os dedos até à anca dela, através do ventre… a junção das coxas. Pressionou-os através do vestido e tocou-lhe levemente na abertura.
- Tenho pena, mas o nosso encontro acaba agora…
- Talvez possamos chegar a algum consenso. – Disse ela.
- Oh? – Disse ele.
- O meu hellren é muito mais velho do que eu. Ele é o meu verdadeiro amor, claro.
- Claro.
- Mas por causa do avançado da idade, há certas necessidades minhas que ele não é capaz de cumprir regularmente.
- Creio que estás familiarizada com a minha competência nesse âmbito.
A fêmea sorriu de modo selvático.
- Sim. Estou.
- E parece-me justo que, oferecendo-me um quarto e comida, sejas compensada da forma que achares apropriada.
A fêmea pôs um dos seus pés calçados num tacão de agulha no braço do sofá e subiu a bainha do vestido até à cintura, mostrando-lhe o sexo despido.
- Talvez, primeiro, me devas refrescar a memória relativamente às tuas competências.
Throe ronronou no fundo da garganta e inclinou-se para ela, estendendo a língua, lambeu o caminho até ela. As ancas viraram-se para ele e a cabeça caiu-lhe para trás, ele chupava-lhe o cli…
E parou. Sentou-se.
- Há um problema.
- Sim? – Resmungou a levantar a cabeça.
Não posso ficar nesta cabana. Não se o Bando dos Bastardos vier aqui prestar… homenagem. Com certeza que numa propriedade tão grande como esta, haverá outras instalações disponíveis.
Ela enrugou a testa.
- És da linhagem dos Bluerme, não és?
- Sim. Do lado da minha mahmen.
- Então és um parente distante do meu hellren, por isso seria falta de educação nossa não te oferecer abrigo. Claro que, estando na casa principal, teremos de te comprar roupa.
Throe sorriu-lhe. Era tão perfeito.
No final de contas, ela e o marido apoiaram o golpe político contra Wrath e não havia modo de estarem contentes com o desmembramento do Conselho.
Tinha não só os seus com ele, como também tinha uma base de operações.
- Isso seria muito bem-vindo, - Disse, a passar as mãos à volta das ancas dela e a puxá-la de volta à sua boca.
Contra o sexo dela, murmurou:
- Agora, deixa-me demonstrar o meu afeto perante a tua natureza generosa.



(The Shadows, Capítulo 57)




Adorei esta parte!
Está um espetáculo!
E nunca gostei tanto do Throe...
Peço desculpa, mas não há heróis que prestem se não tiverem bons vilões e este Throe é fe-no-me-nal!

Quanto a línguas… ainda não esqueci as dos pírcingues:
Lassiteeeeeeeer…
Qhuiiiiiiiiinn…
Vishooooooooous…
Já vou em três!

Ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhh!...
E, como diz a música: "Venham mais cinco!"

2 comentários:

Ahahahahah! Opá, e eu a pensar que o moço era um cavalheiro...Afinal acho que me enganei... :P

Sim realmente o nosso bastardo anda aprimorado.....

Obrigada por mais uma tradução!!!

Beijinhos