quarta-feira, 10 de agosto de 2016

The Chosen - Capa e excerto

Olá pessoal!!!

Tudo bem?

Viram a ligação que partilhei na página de facebook do blog mais cedo?

Se não, hoje encontrei um excerto do 15º livro da Irmandade da Adaga Negra que chegará às livrarias (em INGLÊS) a dia 4 de Abril de 2017 juntamente com a capa americana do livro.

O excerto pode conter SPOILERS para quem não leu o THE BEAST!!! (Que ainda não saiu em Portugal e que ainda não fomos avisadas da sua eventual chegada cá, mas se for como os outros lá para Fevereiro deve sair [previsão minha, nada definitivo]) Por isso se não querem spoilers é só ver a capa e desaparecer daqui. :)

Na minha opinião, ela não é tão "espectacular" como as outras, mas coise...

E cá está ela: 


O livro ainda não tem sinopse (já fui procurar em mais que um sítio) mas no site em que veio a capa, também veio um pequeno excerto... (Para quem tem estado desatento, ou não se lembra, este livro vai ser mais focado no Xcor e na Layla).

E vamos lá ao que interessa, está bem? ;)

Já aviso que na versão original o texto por vezes está escrito de uma maneira mais "antiga" que eu provavelmente não vou conseguir passar para aqui... (Desculpem)

----V.P.----

Ele nasceu numa noite de inverno, durante uma histórica tempestade de inverno. Nas profundezas de uma cave húmida e suja, à medida que ventos gelados ameaçavam o ventre de terra, a fêmea que o carregava tinha gritado e sangrado para o trazer ao mundo o filho que o Irmão da Adaga Negra Hharm lhe tinha exigido.

Xcor tinha sido quebrado. O primeiro dos seus muitos males e, por ventura, o único que não foi por sua culpa. E ele tinha sido querido... até a sua cara emergir.

Os seus defeitos físicos ofuscou até o triunfo do seu sexo, e dessa forma, o seu progenitor entregou-o ao cuidado do seu eu recém-nascido à sua mahmen como uma maldição, uma punição pela sua incapacidade de gerar uma prole adequada.

E esse foi o início da sua história... que o tinha levado até ali.

Noutra cave. Numa outra noite de Dezembro. E tal como no seu nascimento, o vento uivava para cumprimentá-lo, apesar que desta vez, foi um recobro de consciência em oposição uma expulsão para a vida independente que o acordou.

Tal como uma cria recém-nascida, ele tinha pouco controlo sobre o seu corpo. Incapacitado estava ele, e isso teria sido verdade mesmo sem as correntes e as barras de metal que estavam a presos sobre o seu peito, as suas ancas, as suas coxas. Máquinas, em discrepância com o ambiente rústico, apitavam atrás da sua cabeça, monitorizando a sua respiração, frequência cardíaca e pressão arterial.

A Irmandade da Adaga Negra estava a mantê-lo vivo... para o poderem matar.

E à medida que o seu cérebro começava a funcionar de baixo do seu crânio, enquanto os pensamentos finalmente se aglomeraram e formaram pensamentos racionais, ele recordou-se da série de acontecimentos que o colocaram a ele, o líder do Bando dos Bastardos, na custódia do que tinha sido seu inimigo: um ataque que lhe foi feito por trás, uma queda que provocou uma concussão, um AVC ou algo semelhante que o tornou propenso e em suporte de vida à mercê, não existente, dos Irmãos.

Xcor recobrou a consciência uma ou duas vezes durante o seu cativeiro, mas a conexão na sua arena mental tinha sido insustentável por grande períodos de tempo.

Isto era diferente. Ele conseguia sentir a mudança dentro da própria pele. O quer que fosse que tinha sido danificado tinha finalmente sido curado. Ele tinha voltado da paisagem enevoada que não era nem-vida-nem-morte.

Mesmo com os seus olhos fechados, ele não podia fingir estar inconsciente para sempre.

- ... o que me preocupa de verdade é o Tohr.

O final de uma frase proferida por um macho entrou no seu ouvido como uma série de vibrações, e a tradução delas estava com atraso. Mas o nome...

- Nah, ele é rijo. - Houve um som de um arranhar suave seguido do cheiro rico a tabaco. - E se ele falhar, eu estarei lá.

A voz profunda que tinha falado primeiro ficou seca. - Para o acorrentar de volta na linha... ou para o ajudar a assassinar o pedaço de carne?

O Irmão Vishous... sim, era ele quem era... rio-se como um assassino em série. - Que visão fodidamente sombria tens de mim.

Era de estranhar que eles não se intendessem melhor, pensou Xcor.

Mas, mais uma vez, a Irmandade e os Bastardos tinham estado em lados diferentes do reinado de Wrath. Na verdade, a bala que o Xcor tinha colocado na garganta do líder por direito da raça vampírica tinha sido um evento clarificador quando se tratava de afiliações.

Desde aquela altura, contudo, tinha existido uma força de contrária que intercedeu no seu destino.

A imagem que lhe veio à mente foi de uma fêmea alta e esbelta com as vestes brancas de uma das Escolhidas da Virgem Escrivã. O seu cabelo loiro ondulava a baixo dos seus ombros e arrastavam-se na brisa gentil, e os seus olhos eram da cor de jade, e o seu sorriso era uma bênção que ele nada tinha feito para merecer.

A Escolhida Layla tinha mudado tudo para ele, remodelando a Irmandade de alvo para tolerável, de inimigo para um inclino co-existencial no mundo.

Ela tinha tido mais efeito na sua alma negra que toda a gente que tinha aparecido antes dela, evoluindo-o uma distância maior num espaço de tempo mais curto do que ele alguma vez teria pensado possível.

- Eu quase que quero que o Tohr apareça aqui e o despedace. Ele ganhou esse direito.

O Irmão Vishous praguejou. - Todos nós ganhamos. Traidor de merda. A parte mais difícil disto vai ser garantir que haja alguma coisa que sobre no final para o Tohr ter.

E aqui estava o problema, pensou Xcor por trás das suas pálpebras fechadas. A sua evolução era desconhecida aos seus antigos inimigos... e a única maneira de sair deste cenário mortífero seria revelar o amor que ele tinha encontrado com uma fêmea que não era dele, nunca tinha sido, e nunca irá a ser.

Mas ele não iria sacrificar a Escolhida Layla por ninguém.

Nem mesmo para se salvar a si próprio...

Excerto retirado do The Chosen (A Escolhida) da J.R. Ward.
----

Para quem quiser ver a versão original encontra-se neste site:

http://www.ew.com/article/2016/08/10/excerpt-jr-ward-chosen-exclusive

Isto demorou, mas consegui traduzir tudo hoje. Nem sequer estava à espera de ter "notícias" tão cedo, mas gostei do que saiu. xD

E por hoje é tudo pessoal!!!

Até à próxima publicação,
Sunshine  ;)

5 comentários:

olá, gostei do que li, mas a capa me lembra um jogador que está muito ruim ao meu ver , só tem fama, então a foto estragou tudo.

Finalmente não define com exatidão o alívio de ter algo a respeito deste livro, porque não é para agora, só para o próximo ano. Troca o finalmente por mais ansiedade. Mas, seja como for, finalmente, teremos essa história da escolhida e seu amado bastardo. Como é que estes dois terminaram não apenas juntos, mas também em paz com a Irmandade, é a grande pergunta.

Quem é que é o pirulito? xD

Aldi, eu percebo... a capa foi muito má... :(

SOMBRA NA AREIA, verdade, ainda falta MUITO!!! Mas imagina que estás em Portugal e os livros por cá (em Português) só chegam uma ano depois de ter saído nos EUA? Eu tenho a sorte de conseguir ler em inglês por isso não tenho que esperar assim tanto, mas a grande maior parte dos fãs de cá não tem a mesma sorte... :/

O problema. Espera a tradução aqui no Brasil