sábado, 6 de agosto de 2016

Uma carta da J.R. Ward - Primeira Newsletter

Olá pessoal!!!!

Tudo bem?

Desculpem o atraso.... 

Dia 26 de Julho recebi a primeira Newsletter da Ward onde ela mandou uma carta a falar sobre como se lembrou da série The Bourbon Kings e como a história foi criada... O segundo livro da série, The Angels' Share, foi também publicado passado dia 26 de Julho e teve direito a evento dia 30 de Julho. 

E porque é que eu não coloquei isto mais cedo? (Perguntam vocês)

A resposta é simples... Na altura em que me mandaram o e-mail estava a stressar porque os meus pais me iam buscar a França e tiveram uma avaria no carro em Espanha... E para compensar o carro só iria ficar pronta na sexta... e eu estava no local de estágio a "ananhar" e stressar e não tinha cabeça para mais nada... Depois lá a coisa se resolveu e estive em viagem e só voltei a casa na terça feira desta semana (2 de Agosto). Depois foi uma questão de arrumar as tralhas, estar um pouco bom os bichinhos, apanhar uns pokemons que eu já queria fazer isso há quase um mês e não podia!!!! Ir à Viagem Medieval em Terras de Santa Maria também é um must todos os anos para o pessoal daqui...

Ou seja... Estive ocupada e/ou sem cabeça para traduzir...

MAS!!! Depois de acabar de escrever a minha fanfic de Twilight (processem-me se se atreverem!!!) finalmente coloquei mãos à obra... E aqui está o resultado:


----V.P.---

Uma carta da J.R. Ward:


Eles conquistaram-me com o lago dos lírios….

O ano era algo a norte de 1980, mas definitivamente a sul dos noventas. Eu tinha doze? Treze? E era uma viciada em Dynasty*. A partir do final da primeira temporada quando a primeira mulher de Blake apareceu no tribunal (apesar de a cara dela não ser mostrada) até ao confronto matriarcal da Joan Collins nos episódios seguintes, eu estava completamente agarrada: as grandes ombreiras (vestuário), as jóias enormes, os segredos obscuros e as deslealdades… eu não conseguia ter o suficiente. Mais alguém se lembra quando o Adam pintou aquele escritório com motivos náuticos e os vapores fizerem o Jeff ficar maluco?

De qualquer modo, Alexis e Krystle acabaram no lago dos lírios, as duas mulheres abastadas e bem vestidas (uma a ex-mulher e a outra a mulher actual do Blake Carrington) atacaram-se uma para a outra como dois lutadores dentro de uma jaula, brincos perdidos na água, roupas arruinadas, o cabelo como perucas de Halloween. Foi espectacular.

Passaram-se anos… décadas também… e eu transitei da profissão de advogada para escritora a tempo integral. A Irmandade da Adaga Negra apareceu na minha cabeça, e eu escrevi também as outras séries. A vida era boa!

Eu também me mudei para sul da linha Mason-Dixon e fui exposta a todos os tipos de coisas e tradições Sulistas… incluindo o bourbon. E a fabricação do bourbon.

Algures no meio do caminho, os meus Rice Krispies# começaram a mostrar-me coisas. Elas eram imagens de uma família em desordem, onde as funções de toda a gente foram alteradas, e as fundações da sua identidade como aristocracia Americana foi abalada até ao fundo. Ao ver aquilo desenrolar-se na minha cabeça, ocorreu-me que dramas familiares mereciam um retorno, e eu lembro-me de tentar “vender a ideia” à minha editora quando ela me veio visitar. Ele ficou um pouco surpreendida porque não era paranormal, mas ela viu o potencial e foi muito encorajadora.

A série The Bourbon Kings está muito na onda da Dynasty, mas é moderno e relevante para os dias de hoje. Afinal, alguns dos conflitos na série de TV que eram tão chocantes naquela altura seriam corriqueiros agora, e uma das coisas que adoro nos livros (The Bourbon Kings e The Angels’ Share) é o quão fortes e independentes as personagens femininas são. Estas histórias são também muito sinuosas e com grandes reviravoltas na sua trama. Enquanto estou a fazer o rascunho, estou muitas vezes de queixo caído porque no instante eu penso que conheço uma determinada pessoa, saltam-lhe as rolhas e tornam-se noutra pessoa diferente! Eu espero que dêem uma oportunidade a estes livros se ainda não o fizeram; eu certamente diverti-me imenso a escreve-los. E se gostam de romance e suspense, e de serem imersos na vida Sulista, então esta série é mesmo para ti!

Melhores cumprimentos,
J.R. Ward

*Dynasty – série de televisão americana produzida pela emissora ABC, sendo transmitida de 1981 a 1989. Podem consultar mais sobre a série aqui: Dynasty wikipédia
#Rice Krispies – quadrados de cereais e marshmallows que é vendido nos EUA

-----

---V.O.---
A Letter from J.R. Ward:
They had me at the lily pond. . . .

The year was something north of 1980, definitely south of the nineties. I was twelve? Thirteen? And I was a Dynasty addict. From the end of the first season where Blake’s first wife appeared in court (though her face wasn’t shown) to Joan Collins’ matriarchal smackdowns of subsequent episodes, I was all in: the big shoulder pads, the enormous jewels, the dark secrets and double dealings—I just couldn’t get enough. Does anyone else remember when Adam painted that office with nautical stuff and the fumes made Jeff go nuts?

Anyway, Alexis and Krystle ended up in the lily pond, the two well-dressed, wealthy women (one the ex-wife, the other the current wife of Blake Carrington) locked on each other like a pair of cage fighters, earrings lost in the water, clothes ruined, hair like Halloween wigs. It was awesome.

Years passed—decades, too—and I transitioned from being a lawyer to writing full time. The Black Dagger Brotherhood showed up in my head, and I wrote other series, too. Life was great!

I also moved south of the Mason-Dixon line and was exposed to all kinds of Southern things and traditions . . . including bourbon. And bourbon making.

Somewhere along the way, my Rice Krispies started showing me things. They were images of a family in turmoil, where everyone’s role got shifted around, and the very foundations of their identity as American aristocrats were rocked to the core. Seeing it roll out in my head, it occurred to me that family dramas deserved a comeback, and I remember pitching the idea to my editor when she was down visiting me. She was a little surprised because it wasn’t paranormal, but she saw the potential and was very encouraging.

The Bourbon Kings series is very much in the Dynasty vein, but it’s modern and relevant to today. After all, some of the conflicts in the TV show that were so shocking back then would be dated now, and one of the things I love about the books (THE BOURBON KINGS and THE ANGELS’ SHARE) is how independent and strong the females are. These stories are also very twisty and turny with the plotting. As I’m drafting, I am often slack-jawed because the instant I think I know a given person, they corkscrew on me and become someone else! I hope you’ll give these releases a try if you haven’t already; I certainly have a blast writing them. And if you like romance and suspense, and being immersed in Southern life, then this really is the series for you!

Best,
J.R. Ward 

---

Eu ainda estive a cuscar a ver se havia uma transcrição do evento de lançamento, mas até agora nada.... Por isso tão cedo não devo ter nada para vocês... :/ 

Houve, há uns tempos, um zun zun de que, a partir de Setembro, iria haver mais bocadinhos da vida do quotidiano da Irmandade e do Lassi. Espero que seja verdade, porque assim teríamos "docinhos" enquanto esperamos pelos novos livros, não é verdade?

Bem, por hoje é tudo e eu vou tentar dormir porque, apesar de ser domingo, acho que amanhã vou ter que acordar cedo para ir para casa dos meus avós...

Por isso...

Fiquem bem e até à próxima publicação,
Sunshine ;)

0 comentários: